Para Marina, restou água durante visita

O Café Nice foi inaugurado em 1939 e acabou se tornando ponto de encontro de grandes personalidades, entre elas Milton Campos, Pedro Aleixo, Tancredo Neves e Juscelino Kubitschek

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

A ida do candidato do PSB ao governo de Minas, Tarcísio Delgado, ao Café Nice neste ano também foi marcada por uma história curiosa. Uma delas envolveu a principal apoiadora do socialista, a candidata a vice-presidente da República Marina Silva, que não é adepta do café. A líder da Rede Sustentabilidade chegou de surpresa ao estabelecimento e colocou o proprietário, Renato Caldeira, em uma saia justa.  

“Sempre que ela vem, saio e compro um chá, que é o que ela gosta. Mas dessa vez ela veio de surpresa, e a única bebida que a agradou era água”, conta Caldeira, que diz ter pedido “mil desculpas” à ex-senadora. No mesmo dia, Delgado ainda tentou pagar pelo cafezinho consumido na visita. “Mas a campanha já tinha acertado tudo”, relembra o proprietário.

O Café Nice foi inaugurado em 1939 e acabou se tornando ponto de encontro de grandes personalidades, entre elas Milton Campos, Pedro Aleixo, Tancredo Neves e Juscelino Kubitschek. Se antes a elite intelectual e política se reunia para trocar ideias e discutir propostas, hoje os candidatos utilizam as visitas ao local como um “medidor de popularidade”. Frequentadores costumam usar a frase: “Quem não passa pelo Nice não vence a eleição”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave