Suor da filha é surpresa para a mãe

Os resultados não foram menos satisfatórios: ela dorme melhor, está mais ativa, fala mais frases contextualizadas

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

A menina Clárian agora toma um óleo artesanal de canabidiol
Arquivo pessoal
A menina Clárian agora toma um óleo artesanal de canabidiol

Quando viu as mãos e os pés da filha suados pela primeira vez, há cerca de um mês, a bancária Cidinha Carvalho, 47, chegou a se emocionar. Clárian, 11, tem síndrome de Dravet, doença que, além de causar convulsões fortes, causa um bloqueio neurológico da sudorese.  

A grande mudança veio depois que a menina começou a tomar o extrato de canabidiol, em abril deste ano. “Comprei em Miami, e uma pessoa trouxe para mim ilegalmente, se arriscando. Demos para a Clárian e, logo de início, ela ficou 13 dias sem convulsionar”, conta Cidinha. Uma grande vitória para uma menina que já passou por 17 internações longas, sete passagens por UTI, teve 11 pneumonias e tinha de dez a 12 crises convulsivas por mês.

Mas a pasta de canabidiol importada custa US$ 500 (cerca de R$ 1.150) por bisnaga de 10 mg, quantia alta demais para a família. Por isso, Cidinha passou a dar para a menina um óleo de canabidiol, produzido artesanalmente por um médico brasileiro, doado para ela.

Os resultados não foram menos satisfatórios: ela dorme melhor, está mais ativa, fala mais frases contextualizadas. E melhor: sem efeitos colaterais. “Na semana em que começamos a dar o óleo para ela, a percebemos mais irritada, sonolenta e faladeira. Hoje já está adaptada ao remédio”, conta a mãe. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave