Assaltos a ônibus na BR-381 preocupam

Segundo denúncias, criminosos fingem ser passageiros para entrar nos coletivos

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |


Motoristas e passageiros dizem estar assustados com assaltos a ônibus na BR–381
ALEX BRANDAO / O TEMPO
Motoristas e passageiros dizem estar assustados com assaltos a ônibus na BR–381

Uma onda de assaltos a ônibus na BR–381, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, tem deixado motoristas e passageiros assustados. A situação, segundo denúncias feitas à reportagem do , é ainda pior próximo a um shopping localizado às margens da rodovia, onde criminosos, se passando por passageiros, entram nos coletivos com o objetivo de cometer os crimes.Super Notícia

A proprietária de uma loja no centro de compras, que pediu para não ser identificada por medo de represálias, contou à reportagem que no sábado, dia 2, os autores chegaram a efetuar três tiros para o alto para intimidar as vítimas. Por sorte, ninguém se feriu. “A situação está absurda. Os ladrões entram nos ônibus próximo ao shopping e, depois de um tempo de viagem, anunciam o assalto. Funcionárias minhas já tiveram celulares e até pagamentos roubados. Após o crime, eles obrigam o motorista a parar o veículo e fogem”, conta.

O que mais chama a atenção no caso é que os bandidos não se sentem intimidados nem com a presença de uma unidade do Tático da Polícia Militar que funciona 24 horas ao lado do centro de compras. “Os criminosos não se importam com isso, afinal eles entram nos ônibus como passageiros”, frisa a empresária, ao ressaltar que o ideal é que todos os coletivos tivessem câmeras de segurança.

Assaltado mais de três vezes no expediente, um motorista, que também pediu para não ser identificado, diz que já não consegue mais trabalhar com tranquilidade. O medo de ser assaltado a cada vez que um novo passageiro entra no ônibus fez com que o motorista recorresse a remédios para continuar exercendo a profissão. “Basta ver alguém diferente no ônibus que a gente assusta. Tomo calmante, porque senão fico muito tenso”, relata.

A Santa Edwiges, empresa responsável pela operação dos ônibus de Betim, não se pronunciou sobre o caso até o fechamento desta edição.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave