Às voltas com a prostituição

Marcos Palmeira vive um agenciador de garotas de programa na série “A Segunda Vez”, que estreia segunda-feira (11)

iG Minas Gerais |

Elenco. Marcos Palmeira e Monique Alfradique integram o elenco da série “A Segunda Vez”
Juliana Coutinho / Divulgação
Elenco. Marcos Palmeira e Monique Alfradique integram o elenco da série “A Segunda Vez”

Marcos Palmeira está de volta ao mundo do crime. No ar na novela da Globo “O Rebu” como um delegado, o ator faz agora um chefe da prostituição em “A Segunda Vez”, que estreia amanhã, às 22h30, no Multishow. Palmeira já tinha sido indicado ao Emmy de 2013 pelo advogado criminalista que encarnou na série “Mandrake”, da HBO, baseada na obra de Rubem Fonseca.

Sexo, drogas, rock n’ roll e criminalidade movem a história baseada no livro “A Segunda Vez que te Conheci”, de Marcelo Rubens Paiva. A série terá 15 episódios, exibidos de segunda a sexta-feira. Na trama, Palmeira é Raul, um jornalista que vê sua vida transformada após perder o emprego e se separar da mulher. Ele descobre que há garotas de programa morando no mesmo prédio onde está hospedado, no bairro Jardins, em São Paulo. Sua vizinha de porta, Carla (Letícia Persiles), vai introduzi-lo nesse universo.

“O Raul vai fundo nesse submundo da prostituição”, conta Marcos Palmeira. A princípio, o personagem é movido pela curiosidade. Depois, se envolverá com as moças, mas não sexualmente. “Ele não é o pegador”, diz Palmeira. “E ele está focado em sua ex-mulher, ainda está apaixonado por ela”.

Raul quer usar esse mundo como inspiração para um livro, e é daí que surge a ideia de criar enredos para atender às fantasias mais inusitadas dos clientes das garotas. Um deles se excita, por exemplo, com situações perigosas. Ele é sequestrado e quando chega ao cativeiro descobre que suas algozes são três mulheres lindas.

Para essas cenas mais apimentadas a série conta com um time que inclui, além de Persiles, Monique Alfradique, Eline Porto e Gabriella Greco. O diretor César Rodrigues diz que não escolheu o elenco feminino só pelos atributos físicos. “Eu precisava de boas atrizes que não tivessem questões com o corpo”, diz.

Letícia Persiles, que fez suas primeiras cenas sensuais, diz que não foi tão fácil ficar nua diante das câmeras. “Não é confortável”. Para ela, o mais importante é que estarão em jogo as questões pessoais das garotas. Carla, por exemplo, é viciada em drogas e corre o risco de perder a guarda do filho. Haverá uma dose de tensão, já que Raul terá de enfrentar cafetões.

“A história acaba sendo muito mais perigosa do que ele imaginou. Essa é a segunda vez, porque a vida dele nunca mais voltará a ser a mesma”, diz o diretor. Segundo Rodrigues, embora a adaptação tenha buscado ser fiel ao livro, a série deixou as histórias das garotas mais encorpadas. E o desfecho, para Raul, será diferente.

“A gente quis o Raul lidando com o perigo” , diz. A ideia foi também deixar brecha para uma eventual segunda temporada, que mostraria como seria a vida de Raul transformado após a experiência. Segundo Rodrigues, todo o processo de adaptação da obra foi acompanhada por Marcelo Rubens Paiva.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave