Atlético aponta os motivos para o atraso de salários e premiação

Dirigente garante que os jogadores do Galo entendem a realidade enfrentada pelo clube alvinegro

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

Jogadores do Atlético tem a promessa de receber o salário referente a junho na próxima segunda-feira
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Jogadores do Atlético tem a promessa de receber o salário referente a junho na próxima segunda-feira

Enquanto espera por uma resposta do Governo Federal para o refinanciamento de suas dívidas tributárias, o Atlético se vira para tentar manter os salários de seus jogadores em dia. Neste momento, o Galo deve dois meses de honorários aos atletas, além de metade da premiação prometida pela conquista da Copa Libertadores 2013.

O diretor de futebol, Eduardo Maluf, admite tais fatos e faz algumas ponderações, deixando claro que não existe nenhum alarde entre os jogadores em relação aos atrasos. O dirigente garante ainda que o mês de junho, que venceu na última semana, será pago na próxima segunda, faltando o salário de julho a ser quitado no restante de agosto.

“Não vejo o motivo de esconder. Explicamos para eles e eles entenderam. A maioria está aqui está há muito tempo com a gente e sabe da nossa realidade de nunca atrasar salários”, disse o diretor de futebol ao Super FC.

Eduardo Maluf faz questão de ressaltar os quase R$ 40 milhões retidos pela União referentes à venda do meia-atacante Bernard ao Shakhtar Donetsk em agosto de 2013 e ao período sem jogos, que ajudou a acentuar a situação financeira do clube.

“Mas esta situação que a gente vive com o governo dificulta algumas coisas. Para agravar, ainda teve muito tempo sem jogo por causa da Copa do Mundo”, argumentou o dirigente.

Em relação à premiação, Maluf mostrou-se tranquilo e apontou que o restante do dinheiro só será entregue aos jogadores quando a questão financeira do clube junto ao Governo for resolvido.

“Premiação não tem data para pagar. Demos a metade do prometido e vamos completar quando o dinheiro retido cair na nossa conta”, comentou.

Jurídico. Diante desta situação, o departamento jurídico do Atlético segue seu trabalho árduo e mostra pouco entusiasmo. Em contato com a reportagem, o diretor jurídico do Galo, Lásaro Cândido da Cunha, falou sobre a realidade atleticana.

“Ou vai aprovar a lei e a gente faz um parcelamento nos termos que a lei nova indica, ou será parcelada pela lei que tem agora”, afirmou.

Lásaro Cândido da Cunha refere-se ao projeto substitutivo que institui a Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (LRFE), plano que prevê o refinanciamento de dívidas tributárias em 300 parcelas (25 anos), com um tempo de ajuste de 36 meses. A votação na Câmara dos Deputados estava prevista para a última terça-feira, mas acabou sendo adiada.

“Semana passada era para fazer um acordo na Câmara, mas adiaram. Vamos ver”, finalizou.

Leia tudo sobre: atleticogaloatrasosalariospremiacoesmalufbernarddivida tributaria