Shows cancelados em Israel já custaram R$ 45 mi ao p

iG Minas Gerais | Da Redação |

Os shows cancelados em Israel devido ao conflito do país com os palestinos na faixa de Gaza já custaram ao país cerca de US$ 20 milhões (R$ 45,7 milhões) em ingressos perdidos. O levantamento foi feito pela revista "Billboard". Desde o agravamento dos combates, em julho, artistas como Cee-Lo Green, Neil Young e sua banda Crazy Horse, America, Megadeth e Backstreet Boys já anunciaram o cancelamento de apresentações em solo israelense. Os shows foram desmarcados por motivos diversos, desde questões de segurança até protestos contra as ações militares israelenses em Gaza, no combate contra o movimento radical islâmico Hamas. "Esse ano, parecia que ia ser um dos melhores verões da história de Israel em termos de shows internacionais, mas agora está tudo sombrio", disse o produtor Carmi Wurtman, da 2b Vibes, empresa que organizou alguns dos concertos cancelados. Entre os próximos artistas que ainda têm shows marcados no país está Lady Gaga. Ela deve cantar em Tel Aviv no dia 13 de setembro. "Mas nós estamos de olho na situação", afirmou o produtor Arthur Fogel, responsável pela organização da apresentação, que deixou em aberto a possibilidade de mais um cancelamento. Segundo Wurtman, a última vez que a indústria de shows em Israel foi tão afetada pelo conflito com os palestinos foi em 2008. As bandas Pixies e The Hives foram as últimas grandes atrações a tocarem no país, em junho, antes do agravamento da situação. Já a cantora Lana del Rey, que faria seu primeiro show no país, foi a última a cancelar.  

Leia tudo sobre: israelpalestinagazaconflitoshowsprejuízo