Com fim da Copa, inflação fica estável, mas longe da meta

IPCA de julho fecha em 0,01% com forte recuo dos preços de passagens aéreas e de hotéis

iG Minas Gerais |

Demanda menor. Com o fim da Copa do Mundo, as passagens aéreas no país  ficaram, em média, 26,86% mais baratas em julho
ANGELO PETTINATI/2.8.2010
Demanda menor. Com o fim da Copa do Mundo, as passagens aéreas no país ficaram, em média, 26,86% mais baratas em julho

Rio de Janeiro. O fim da Copa do Mundo, que provocou uma redução de preços de passagens aéreas e diárias de hotéis, foi o principal motivo que fez com que o índice de inflação medido pelo IPCA desacelerasse em julho. A inflação mensal ficou em 0,01%, uma forte desaceleração frente ao 0,40% registrado em junho. Em 12 meses, no entanto, o índice ficou em 6,50%, informou nesta sexta o IBGE. Os dois valores ficaram abaixo das previsões do mercado. O setor de serviços recuou 0,06%, a maior queda desde 2012.  

Ainda que a Copa tenha ocorrido até o dia 13 de julho, o IBGE verificou que, ao final da primeira quinzena do mês passado, os preços desses dois serviços apresentaram queda, afirma a coordenadora de IPCA do IBGE, Eulina Nunes dos Santos. As passagens aéreas registraram em julho queda de 26,86% em relação a igual período do ano passado.

Quatro entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados no âmbito do IPCA registraram deflação em julho, informou o IBGE. A queda nos preços chegou a 0,98% em transportes, com impacto de 0,18 ponto porcentual no resultado geral do IPCA, mas também foram menores as despesas com alimentação e bebidas (-0,15%, o equivalente a um impacto de -0,04 ponto porcentual no índice), comunicação (-0,79%, impacto de -0,03 ponto porcentual) e vestuário (-0,24%, impacto de -0,02 ponto porcentual).

Além disso, os gastos dos brasileiros com educação subiram apenas 0,04%, o que equivaleu a nenhum impacto (0,0 ponto porcentual) para a inflação oficial do país no mês passado, e as despesas pessoais pisaram no freio, saindo de alta de 1,57% em junho para 0,12% em julho.

Nesse último grupo, a contribuição para a inflação passou de 0,17 ponto porcentual para 0,01 ponto porcentual no período, graças ao recuo nos preços dos hotéis. As diárias ficaram 7,65% mais baratas em julho, passado o pico da Copa do Mundo.

Em junho, os hotéis tinham aumentado 25,33%. Os demais aumentos em julho foram registrados pelos grupos saúde e cuidados pessoais (0,50%), artigos de residência (0,86%) e habitação (1,20%).

Para governo, situação está sob controle e meta será atingida Rio de janeiro. Com o recuo da inflação em julho, como mostrou nesta sexta o IBGE, o governo saiu na defesa de sua política econômica e afirmou que a meta do ano será cumprida. Márcio Holland, secretário de Polícia Econômica do Ministério da Fazenda, afirmou que a inflação está sob controle, vem caindo nos últimos quatro meses e deve continuar a trajetória no próximo semestre. “O resultado só reforça a nossa avaliação de que a inflação está sob controle e teremos um índice dentro das metas anunciadas esse ano, dentro do intervalo de tolerância. “A inflação ficou em 0,01% em julho, o menor índice mensal desde 2010 e abaixo do que o mercado esperava. Trata-se de resultado da política econômica posta em prática pelo governo federal desde meados do ano passado”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave