Ativista teme reflexos negativos

Presidente do Fórum de Erradicação e Combate ao Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente, Elvira Consedey defende ações mais complexas que alterar o ECA

iG Minas Gerais | BERNARDO MIRANDA |

A proposta de alteração do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é vista com preocupação por quem atua na defesa dos direitos dos jovens. O principal temor é que haja distorções na legislação que objetiva proteger menores.  

Presidente do Fórum de Erradicação e Combate ao Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente, Elvira Consedey defende ações mais complexas que alterar o ECA. “Falam em aumentar o tempo de internação do adolescente infrator. Mas como vai ser o local em que ele vai estar detido? Vai haver tratamento humanizado? Qual vai ser a educação dada a esse jovem infrator? É preciso dar instrumentos para ressocialização”, afirmou Elvira. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave