Oficina transforma dia a dia de quem ajuda

Na cantina da escola, o banco onde “todo mundo” se senta não presta para as crianças que precisam de apoio de qualquer um dos lados

iG Minas Gerais |

Nova York. Como material de construção, o papelão é forte, barato e pode ser moldado. Sua oficina faz centenas de peças todos os anos para crianças específicas. Uma criança em cadeira de rodas pode ficar com o queixo na altura da mesa.

Na cantina da escola, o banco onde “todo mundo” se senta não presta para as crianças que precisam de apoio de qualquer um dos lados. Porém, um assento firme de papelão pode ser encaixado no banco, rompendo essa barreira. “Queremos que tudo seja aberto”, afirmou Alex Truesdell. “Encorajamos as pessoas a copiarem e replicarem nossos projetos”. Para manter a empresa em Nova York, Truesdell angaria cerca de € 375 mil por ano com dinheiro de fomento e doações, além de arregimentar artistas para o projeto de arrecadação de fundos, o Chairs for Humanity (Cadeiras para a humanidade). O trabalho é realizado por alunos de design e voluntários, além de pessoas buscando um novo rumo para a vida. Silvia VanDunk, que trabalhou como treinadora de cavalos em Nova York, está mudando de rumo. “Quando era criança, me lembro de sempre dizer que iria mudar o mundo quando crescesse”, afirmou. “Agora posso mudar o mundo de algumas pessoas e é sensacional”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave