Importar por outro país sai mais barato

Quem for importar dos Estados Unidos, por exemplo, pagará US$ 1.000 por pílula

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Para quem não pode esperar que o novo medicamento chegue ao Brasil e venha a ser distribuído pelo Sistema Único de Saúde, há a possibilidade de entrar com um pedido de importação junto à Anvisa.  

Os interessados deverão apresentar uma prescrição e um laudo médicos que indiquem a necessidade e o benefício da droga. “Isso é necessário porque medicamentos sem registro no país não possuem dados de eficácia e segurança confirmados na Anvisa”, informa o site do órgão.

Quem for importar dos Estados Unidos, por exemplo, pagará US$ 1.000 por pílula – cerca de US$ 84 mil (R$ 191 mil) para o todo o tratamento. Sobre essa quantia não incidem impostos, pois medicamentos para pessoa física têm alíquota zero, segundo informações da Receita Federal. O remédio pode sair mais barato se importado a partir de outro país – como o Egito – já que a fabricante pratica preços diferentes em cada lugar. “A empresa leva em consideração a renda per capita do país e a incidência de casos da doença”, explica Norton Oliveira, gerente geral no Brasil da empresa fabricante da droga. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave