Sete maravilhas de Portugal

iG Minas Gerais | Renato Quintino |

Pastel de Belém é uma das delícias da mesa portuguesa, que é recriada e refeita em todo o mundo
Douglas Magno - 25.9.2012
Pastel de Belém é uma das delícias da mesa portuguesa, que é recriada e refeita em todo o mundo

O queijo Serra da Estrela, o pastel de Belém, o caldo verde, a alheira de Mirandela, a sardinha assada, o arroz de mariscos e o leitão da bairrada foram os vencedores do concurso que visava definir as sete maravilhas da gastronomia portuguesa em novembro de 2011, tendo sido escolhidos depois de uma competição acirrada entre 70 receitas e ingredientes por um júri especializado.

Por motivos insondáveis, o nacional bacalhau não foi escolhido, e o tradicionalíssimo – e delicioso – arroz de pato não foi sequer mencionado. O bacalhau à Gomes de Sá chegou a ser finalista, mas como todo concurso desse tipo tem uma pegada na injustiça – sua própria concepção é passível de críticas –, na lista dos outros 63 pratos não escolhidos estão clássicos inquestionáveis, como os deliciosos derrotados doces conventuais Dom Rodrigo, os ovos moles de Aveiro e a encharcada do convento de Santa Clara.

Uma viagem ao interior de Portugal permite constatar que a lista das maravilhas de sua gastronomia supera as 70 opções, sem mencionar seus vinhos, do Verde ao Porto, do Douro ao Alentejo, de Lisboa à Setúbal, que hoje são inegáveis destaques em avaliações profissionais pelo mundo. Mas, bem ou mal, não se pode tirar o destaque das iguarias selecionadas.

Deleite

O queijo Serra da Estrela é o mais conhecido delas, por ser um dos mais conceituados do mundo. Com as maiores altitudes de Portugal continental, a Serra da Estrela possui, inclusive, uma estação de esqui pouco conhecida no Brasil.

A produção do queijo é milenar, feita a partir do leite de ovelhas – guardadas pela raça de cães de guarda Serra da Estrela. O resultado é um queijo curado, mas de massa semimole, com textura amanteigada entre o branco e o amarelado.

Assim como na França, a produção hoje se industrializa e se padroniza, mas ainda existem pequenos produtores que fiscalizam diariamente a qualidade do pasto das ovelhas, que colhem o leite no fim da tarde e encaminham às suas mulheres, que começam o seu preparo num processo tradicional que é feito e refeito há quase mil anos.

O caldo verde, as sardinhas assadas e o pastel de Belém dispensam apresentações. No leitão da bairrada está a origem da nossa pururuca – provado com os vinhos regionais à base de uva Baga é inesquecível. O arroz de mariscos é a honrosa versão portuguesa de clássicos, como o arroz de frutos do mar ou a paella espanhola.

A alheira de Mirandela é uma linguiça, um enchido, conhecida como a melhor de Portugal. Mas, assim como o vinho do Porto, na verdade, é produzido no Douro – a cidade do Porto apenas o comercializava –, muitos portugueses criticam Mirandela por levar a fama de ter a melhor Alheira, além de ter sido a cidade que recebia e distribuía as alheiras que chegavam do interior.

Polêmicas à parte, vale a pena provar as sete maravilhas de Portugal. E, acrescentando, com louvor e repetidas vezes, os estupendos bacalhau e arroz de pato.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave