Joia para reis e rainhas

Com 12 milhões de visitantes/ano, vila foi eleita uma das Sete Maravilhas de Portugal

iG Minas Gerais | Paulo Campos |

Ruelas. Charme da cidade  pode ser conferido em um passeio a pé pela rua principal que leva ao castelo
STOCKXPERTS
Ruelas. Charme da cidade pode ser conferido em um passeio a pé pela rua principal que leva ao castelo

De Palmela a Óbidos são três horas, e faremos ainda parada na vila de Nazaré, extensa praia de areia branca que termina em um penhasco de 110 m, de onde se ergue o distrito de Sítio. Nazaré tem a fama de ter uma das melhores ondas do mundo, com altura média de 30 m.

Foi nesse balneário na costa de Extremadura que uma onda gigante “engoliu” e quase matou a surfista brasileira Maya Gabeira, no ano passado, que quebrou o tornozelo quando a prancha se chocou contra o paredão de água. Do alto, em Sítio, só vislumbramos um mar azul e tranquilo.

O nome “Nazaré” se refere à estátua da virgem que dizem ter sido trazida por um monge no século IV e colocada na igreja matriz local. Próximo à praça principal, mulheres vestidas de preto vendem um suvenir local, uma anágua de sete cores diferentes, originária de uma curiosa história.

Óbidos

Óbidos é uma joia portuguesa que lembra a Grécia, com suas casas caiadas de branco e portas em azulão. Ela foi o presente que o rei Dinis deu à mulher, Isabel de Aragão, acompanhando a tradição do dote real, que se estendeu até o século XIX. Essa ligação com a realeza ajudou na preservação de seu casario, com fachadas ornadas com flores.

Há na rua principal uma coleção de bistrôs, restaurantes, cafés, lojinhas e até feirinha com produtos típicos, mas o que chama a atenção é o castelo e as muralhas que “abraçam” a vila e se impõem ao cenário. O monumento foi o primeiro a ser adaptado, restaurado, em 1951, e convertido em uma pousada histórica pelo governo português.

Do castelo do século XVI ficaram alguns detalhes: as janelas manuelinas, o portal ornado com troncos entrançados e histórias curiosas, como a da porta da Traição.

Na vila, permanecem o pelourinho (o filho do rei dom João foi encontrado morto por pescadores e colocado em uma rede), as igrejas de Santa Maria, do século XVII, e de Santiago, hoje uma biblioteca.

Saiba mais

Pousada de Óbidos. É a menor e a mais charmosa. Pequena e aconchegante, mantém as características históricas, como móveis de época e azulejos portugueses. Os 17 quartos apenas levam nomes de reis e rainhas, são diferentes um dos outros na decoração e mantêm a rusticidade, como portas de madeira.

Eventos. Cidade-irmã da brasileira Gramado Óbidos é um palco cultural ao ar livre com o Mercado Medieval, o Festival de Chocolate e o Festival Internacional de Literatura. Transformá-la em um polo cultural foi a maneira que o ex-prefeito Telmo Faria, 42, encontrou para revitalizar seu centro histórico.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave