Entidades condenam ‘adulteração’

O ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, classificou como “abominável”, a alteração dos perfis

iG Minas Gerais |

Brasília. A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) defenderam nesta sexta que se investigue se um computador conectado à rede de internet do Palácio do Planalto foi usado para adicionar críticas aos perfis dos jornalistas Carlos Alberto Sardenberg e Míriam Leitão na Wikipédia – enciclopédia virtual e gratuita alimentada por colaborações de usuários da internet.

Por meio de nota oficial, a Abert disse que condena “todo o ato de adulteração de dados ou informação falsa contra qualquer cidadão”. O episódio revelado pelo jornal “O Globo”, conforme a associação, é “ainda mais inaceitável” porque visa atingir profissionais da imprensa. A vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Maria José Braga, disse que é preciso investigar se as alterações partiram de um agente público. O ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, classificou como “abominável”, a alteração dos perfis. Carvalho negou que a ação tenha partido de alguém ligado ao governo e disse que o Planalto irá criar uma comissão técnica para investigar o incidente.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave