Raízes jazzísticas na praça

Na sexta edição, festival reúne talentos brasileiros e estrangeiros, como María Noel Taranto, e ensina público a dançar

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Lenda. Scott Hamilton, um dos saxofonistas mais requisitados do mundo, faz show neste sábado
Kristian Leth
Lenda. Scott Hamilton, um dos saxofonistas mais requisitados do mundo, faz show neste sábado

Mais uma vez reverenciando as raízes do jazz norte-americano dançante, o I Love Jazz chega à sexta edição com três dias de programação gratuita na praça do Papa, neste fim de semana. Entre hoje e domingo, além dos shows com 11 bandas de países como Uruguai, Suíça, Argentina e EUA, o público também vai poder ter aulas de lindy hop ao ar livre, entrando no clima de um dos ritmos mais dançantes do mundo.

Como de praxe, Marcelo Costa, curador do festival, passou o ano passado percorrendo eventos musicais pelo mundo, como o “Jazz Ascona”, na Suíça, e o “French Quarter Festival”, em New Orleans – cidade norte-americana considerada o berço do ritmo. “Eu percebi que o jazz moderno e experimental, que o brasileiro sempre prezou por fazer, não tem sido a prioridade de tantos jovens músicos talentosos. Muitos deles, inclusive brasileiros, têm prezado pelo jazz dançante de raiz, popularizado na década de 1920 e 30 nos EUA e modificado na década de 60”, avalia.

Um dos bons exemplos do jazz tradicional tocado no Brasil está no suingue de David Kerr (vocal e trompete) com o Canastra Trio, composto por Rodrigo Barba (piano), Gustavo Sato (baixo) e Rafael Heinz (bateria). Expoente da cena paulistana, o grupo formado há cinco anos se apresenta amanhã, às 21h, relembrando sucessos de Frank Sinatra, Tony Bennett, Chet Baker e Nat King Cole.

“O David tem uma voz de crooner americano e, no instrumental, prezamos pelo ritmo acelerado, tradicional. É muito legal poder mostrar nosso som de raiz ao lado de grandes nomes do jazz que prezam por isso também”, diz Barba.

São justamente os grandes nomes do jazz que inauguram a programação deste ano do festival. Lembrada pela apresentação eufórica em 2011, a cantora María Noel Taranto, diva no Uruguai, abre o festival com show hoje, às 19h. Ela interpreta repertório jazzístico com influência da chanson de Édith Piaf, misturando clássicos franceses e norte-americanos no set list, como “La Vie en Rose” e “Oh Happy Day”.

Logo depois é a vez da Creole Jazz Band. Com mais de 30 anos de história, o principal conjunto de jazz de Buenos Aires remonta o tradicional dixieland, ou jazz clássico, criado em New Orleans na década de 1920.

Outras atrações de destaque ficam por conta da intérprete brasileira Taryn, diretora artística do Rio Jazz Orchestra, e do encontro de peso entre os saxofonistas norte-americanos Scott Hamilton e Harry Allen. Os dois shows acontecem domingo, a partir das 19h.

AULAS. Amanhã e domingo, a partir das 16h, o público ainda poderá participar de aulas informais e gratuitas de lindy hop, na praça do Papa, com o grupo mineiro BeHoppers – que une o charleston e o sapateado com movimentos de jazz. “É uma oportunidade para o público interagir”, diz o dançarino Fabrício Martins. A programação completa está disponível em www.otempo.com.br.

Agenda

O que. I Love Jazz

Onde. Praça do Papa (av. Agulhas Negras, s/n, Mangabeiras)

Quando. Hoje, às 19h; amanhã e domingo, a partir das 16h

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave