Fábio ‘marca’ aposentadoria

Goleiro já é o atleta da posição que mais vestiu a camisa da clube, passando o lendário Raul

iG Minas Gerais | Bruno Trindade |

Ídolo. Fábio já o terceiro jogador que mais vestiu a camisa do Cruzeiro, atrás apenas de Dirceu Lopes (610 jogos) e Zé Carlos (633)
Alex de Jesus – 4.4.2014
Ídolo. Fábio já o terceiro jogador que mais vestiu a camisa do Cruzeiro, atrás apenas de Dirceu Lopes (610 jogos) e Zé Carlos (633)

A torcida do Cruzeiro, acostumada a ver o goleiro Fábio fazendo grandes defesas, já pode começar a pensar em uma forma de se despedir do jogador. O arqueiro cogita a possibilidade de se aposentar do futebol e já tem por onde seguir. O posto de capitão e a vida nos gramados serão substituídos pelo trabalho como pecuarista, pela administração de imóveis e pelo investimento em uma academia, negócios que o atleta já mantém de forma paralela ao futebol. A data para se despedir dos campos, estipulada por ele, seria abril de 2016, quando termina seu contrato com a Raposa.  

Quando o vínculo acabar, o jogador estará com 35 anos, idade considerada não muito avançada para um jogador da posição. Mas as chances de pendurar as chuteiras existem e foram expostas pelo camisa 1 nesta quinta, na Toca II. “Tenho contrato até o fim de abril de 2016. Tenho um pensamento bem-encaminhado e bem-elaborado sobre isso. Se for da vontade de Deus parar em 2016, vou ficar feliz pelo trabalho que realizei. São 50% de pensamento e 50% de planejamento (para parar)”, declarou o ídolo.

Fábio avalia vários fatores para definir o seu futuro. “Sou um cara realista e analisei muito calmamente os momentos da minha carreira. Não será surpresa se tiver que parar em 2016. Estou feliz e muito satisfeito pelo que venho produzindo ao longo dos anos”, afirmou.

O atleta já pensava na possibilidade de parar quando assinou o último contrato. “É um pouco de planejamento, algumas situações de campo num período muito longo. São coisas que temos que pensar, mas já pensava nisso quando assinei a renovação até 2016. Já me planejava pra isso. Vou trabalhar muito, e só Deus vai determinar se devo parar ou não”.

O arqueiro contou que pensa na importância que ele adquiriu na história da Raposa. “Às vezes, a gente para um pouco e pensa em toda a trajetória, na dedicação, nas lutas e, com certeza, na oportunidade que Deus me deu ao me tirar de um lugar simples no Mato Grosso e me colocar em um grande clube como o Cruzeiro. Sabemos que a carreira é curta, mas não sabemos o que Deus vai determinar quando a gente parar. Já são 18 anos como profissional, e 16 deles jogando”, relembrou.

Mesmo com a possibilidade de sair do clube mineiro e se aposentar, Fábio não fechou as portas para atuar em outras equipes. “Difícil falar (de jogar em outros times). Tenho a minha vida toda no Cruzeiro. Mas, a cada ano, as coisas são diferentes. Praticamente daqui um ano estou livre e poderia fazer um pré-contrato se quisesse sair do Cruzeiro. Tudo pode acontecer”, concluiu.

Outros negócios Investimentos. Pensando no futuro, o goleiro Fábio, além do futebol, investe em outras áreas. Fora dos gramados, o camisa 1 aplica parte de seus ganhos em outras atividades econômicas: – Academia de ginástica em Belo Horizonte. Já existe um projeto de expansão do negócio para mais bairros da capital e cidades do interior de Minas Gerais. – Criação de gado no Estado do Mato Grosso, sua terra natal. – Terrenos e imóveis no Centro-Oeste do Brasil. – Projeto sem fins lucrativos voltado a cuidados com animas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave