Costa desiste de arrolar Campos

Costa foi preso pela Operação Lava Jato, deflagrada em 17 de março para desarticular um esquema de lavagem de dinheiro e corrupção na Petrobras

iG Minas Gerais |

Brasília. A defesa do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa desistiu do depoimento do candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) e do testemunho do ex-ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra, que haviam sido arrolados como testemunhas.  

O criminalista Nélio Machado esclareceu que tomou a medida para não prejudicar os compromissos de campanha de Campos e de Bezerra. Em petição protocolada na Justiça Federal, Nélio Machado ponderou sobre sua preocupação em evitar algum contratempo para os candidatos, mas anotou que em outro momento vai juntar aos autos declarações de Campos e do ex-ministro.

Costa foi preso pela Operação Lava Jato, deflagrada em 17 de março para desarticular um esquema de lavagem de dinheiro e corrupção na Petrobras. O ex-diretor já é réu em duas ações criminais, uma delas sobre ocultação de valores supostamente desviados das obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, Estado que foi governado pelo presidenciável.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave