Mais uma modelo morta na Venezuela

A morte de Ángela é mais uma no rol de crimes contra modelos e misses no país latino-americano

iG Minas Gerais |

Ángela Medina era estudante de direito e modelo no Estado de Lara
Arquivo pessoal
Ángela Medina era estudante de direito e modelo no Estado de Lara

Caracas, Venezuela. Em mais um capítulo violento da história recente da Venezuela, a polícia estadual de Lara confirmou nesta quinta que a modelo e estudante Ángela Medina, 22, foi estrangulada pelo seu namorado, David Emiliano Ramírez, 21, com uma fronha dentro da casa da vítima, de acordo com o jornal “El Nacional”.  

A polícia local acredita que o crime ocorreu após uma discussão acalorada entre o casal. O motivo da briga não foi divulgado.

Ainda de acordo com o periódico, citando a polícia estadual, o namorado de Ángela chegou a confessar o crime, que teria contado com o envolvimento de outras três pessoas: Yohalber González, 28, Victor Marín, 37, e Mauricio Bastidas, 40. Os três teriam ajudado Ramírez a esconder o corpo da modelo na estrada. A polícia local ainda declarou, segundo o jornal “Ultimas Noticias”, que o grupo chegou a tentar queimar o corpo de Ángela, mas não obteve sucesso e o abandonou na estrada. O corpo da modelo trazia as marcas da tentativa de carbonização deflagrada pelo grupo.

Ramírez, González e Marín estão presos em Uribana, no Estado de Lara. A polícia segue procurando o quarto suspeito, Bastidas. Ele seria o dono do carro usado para esconder o corpo de Ángela. Com os suspeitos, foram apreendidos quatro telefones celulares e um cartão de débito, que pertencia à vítima.

A Venezuela é o país da América do Sul com maior taxa de homicídios. Foram 53,7 mortos para cada 100 mil habitantes em 2012. No Brasil, terceiro colocado, a taxa foi de 25,2 para cada 100 mil habitantes no mesmo ano.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave