Helvécio Tamm

Diretor-superintendente da Autopista Fernão Dias

iG Minas Gerais | José Augusto |

Qual a previsão de tempo para a execução da obra? A previsão é que a obra seja feita em 11 meses, porque envolve uma grande intervenção no local. Vamos mudar o traçado da BR–381, trazendo mais segurança aos motoristas, além de permitir um melhor acesso ao centro de Betim, que hoje, devido à divisão ocasionada pela rodovia, fica meio ilhado, pois são poucas opções de retorno. Será uma obra de extrema importância para a cidade.

Essa intervenção estava prevista no contrato de concessão? Sim. É uma das melhorias que teríamos que fazer na rodovia durante o tempo de concessão, assim como várias outras que estamos fazendo ao longo da BR. O custo será de R$ 23 milhões, pagos integralmente pela Autopista. Como está o processo de desapropriação? Ainda está em andamento. Com a decisão de fazer os viadutos para o tráfego da rodovia, vamos ter menos gastos com isso. A Autopista é quem está negociando diretamente com os proprietários dos terrenos e vai arcar com os pagamentos. Mas se, por acaso, não chegarmos a um acordo, a gente irá tentar por vias federais e aguardar a publicação do Decreto de Utilidade Pública (DUP) para fazer o pagamento. Mas as conversas com os donos das áreas estão evoluindo muito bem. Esperamos que dê certo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave