Crimes violentos cresceram 39%, revela relatório

De acordo com a PM, foram 2.456 ocorrências no primeiro semestre deste ano, contra 1.769 em 2013; Alterosas é a região mais violenta do município, com 712 boletins; roubo é o crime mais praticado pelos bandidos, seguido de homicídio consumado, estupro e sequestro

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |

Desde que teve oc arro furtado, no fim de julho, atleta tem ido de bicicleta a treinos
João Lêus
Desde que teve oc arro furtado, no fim de julho, atleta tem ido de bicicleta a treinos

Assassinatos, roubos, estupros, sequestros e toques de recolher. Betim tem sido dominada pela criminalidade. Números da Polícia Militar em Minas Gerais aos quais O Tempo Betim teve acesso com exclusividade revelam que os crimes violentos cresceram 39% no município em relação ao mesmo período do ano passado.

Somente neste ano, entre janeiro e junho, foram registradas 2.456 ocorrências no 33° Batalhão da Polícia Militar. A média é de 14 crimes por dia. Em 2013, durante o mesmo período, foram 1.769. O crime mais comum, segundo relatório da corporação, são os roubos. Eles representam pouco mais de 90% de todos os boletins registrados na cidade. Ao todo, 2.217 pessoas foram vítimas desse tipo de crime no primeiro semestre deste ano, contra 1.542 no ano passado.

Em seguida, vêm os homicídios. De acordo com balanço, cem pessoas foram assassinadas até o dia 31 de junho deste ano. O índice é 14,94% maior que em 2013, quando 87 morreram. “A violência cresce a cada dia. Temos que ficar presos em casa”, diz uma moradora do bairro Alterosas, que pediu para não ser identificada por medo de represálias.

A situação mais preocupante é exatamente a do Alterosas. Conforme dados da PM, no primeiro semestre essa foi a região mais violenta, com 712 ocorrências. Durante o mesmo período de 2013, foram 542.

Outra área que tem chamado a atenção das autoridades policiais é o PTB. Relatório aponta que essa é a região onde os crimes violentos mais cresceram no último semestre. As queixas pularam de 161, no ano passado, para 322 neste ano. O aumento é de 106,21%.

Já a quarta-feira é o dia da semana com o maior índice de violência no município. Segundo o balanço, somente nesse dia, entre janeiro e junho deste ano, foram registradas 425 ocorrências no 33° Batalhão.

Em contrapartida, o número de apreensões de armas caiu. Segundo balanço da corporação, enquanto no primeiro semestre de 2013 foram recolhidos 230 revólveres, neste ano foram 164. A redução é de 28,6%.

Explicação Para o sociólogo e ex-secretário adjunto de Segurança Pública de Minas Luís Flávio Sapori, o crescimento da violência em Betim pode ser explicado por diversos motivos, dentre eles, o fato de o município ter um baixo efetivo de policiais militares e civis – segundo dados obtidos pela reportagem, são cerca de 550 PMs para atender a quase 400 mil habitantes. “A situação é inadmissível. A média no município é de aproximadamente um militar para mil habitantes. No país, o padrão é de um para cada 400”, diz.

Sapori também destaca que o impasse para a construção do centro socioeducativo só agrava a situação, já que, em boa parte dos crimes, há menores envolvidos. “Há uma briga política na cidade, e, com isso, quem sofre é a população. Muitos menores apreendidos são reincidentes”.

O especialista destaca ainda que, apesar de Betim ter tido uma valorização muito acelerada nas últimas décadas, ela não tem recebido os investimentos adequados. “O crescimento da cidade ocorre de maneira desorganizada, sem planejamento. Isso favorece a consolidação do tráfico de drogas e reforça o estigma da violência, afasta investimentos econômicos e aumenta a exclusão social”.

Investimentos A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que, em conjunto com as polícias Civil e Militar, realiza esforços constantes para a redução dos indicadores de criminalidade em Betim e que, desde 2013, Betim já recebeu 55 viaturas. A pasta informou também que a cidade será contemplada com 32 câmeras de videomonitoramento para o “Olho Vivo”. “Os equipamentos já estão em fase de implantação e deverão entrar em funcionamento ainda no segundo semestre”.

Em relação ao efetivo, a Seds explicou que novos 2.100 soldados estão em formação na Academia de Polícia Militar e irão para as ruas nos próximos meses, beneficiando também Betim. Por fim, a pasta ressaltou que foi inaugurado, em julho, um Centro de Prevenção à Criminalidade, com os programas Fica Vivo e Mediação de Conflitos, que atende aos bairros Jardim das Alterosas - 2ª Seção e Industrial São Pedro.

Já a prefeitura informou que quatro terrenos foram selecionados e apresentados ao governo do Estado para que possa ser construído o centro socioeducativo. O Executivo aguarda um parecer sobre as áreas.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave