Não vamos recuperar a Petrobras com mentiras, diz Eduardo Campos

O pessebista acusou o governo de criar uma "cortina de fumaça" sobre as denúncias envolvendo a estatal

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) instou nesta quinta-feira (7) a presidente Dilma Rousseff (PT) a "falar a verdade" sobre a Petrobras em vez de "defender quem fez errado" na gestão da estatal.

Campos, que esteve em Salvador em atividades de campanha, fazia referência a denúncias, divulgadas pela revista "Veja" desta semana, de que a presidente da Petrobras, Graça Foster, o ex-presidente da estatal Sérgio Gabrielli e o ex-diretor da estatal Nestor Cerveró receberam antecipadamente as perguntas que responderiam na CPI da Petrobras do Senado.

Questionada sobre o tema nesta quarta (6), Dilma disse que o Planalto não é "expert em petróleo e gás". "Primeiro porque o Palácio do Planalto não é um expert em petróleo e gás. Expert em petróleo e gás é a Petrobras. Eu queria saber se você podia me informar quem elabora perguntas sobre petróleo e gás para a oposição também", disse.

Campos afirmou que esperava "a verdade" da presidente. "A atitude que se esperava da presidenta neste momento era de falar a verdade para que a verdade pudesse ajudar na recuperação da Petrobras. Não vamos recuperar a Petrobras com mentiras, defendendo quem fez errado."

O pessebista acusou o governo de criar uma "cortina de fumaça" sobre as denúncias envolvendo a estatal. E questionou a atitude de membros do PT que minimizaram a troca de informações entre assessores de senadores governistas e dirigentes da estatal.

"E se o governo fosse do presidente Fernando Henrique, o que estariam dizendo? O mesmo? Não", disse.

OLODUM E FEIJÃO

Eduardo Campos participou na tarde desta quinta-feira (7) de uma caminhada no Pelourinho. Visitou as sedes de blocos carnavalescos como Olodum e Cortejo Afro e provou um caldo preparado pela famosa quituteira baiana Alaíde do Feijão.

No início da noite, o presidenciável participou de um encontro com jovens e focou o discurso em temas como educação e violência.

Criticou a quantidade de homicídios registrados no Brasil, afirmando que "há uma Faixa de Gaza em cada periferia das grandes cidades brasileiras".

Acompanharam Campos em Salvador a senadora Lídice da Mata (PSB), candidata ao governo da Bahia, e Eliana Calmon (PSB), que concorre ao Senado.

A candidata à vice-presidente, Marina Silva, não compareceu aos eventos. A assessoria do partido afirmou que ela chegaria a Salvador "mais tarde" e disse que ela teve de ficar mais tempo em São Paulo para visitar um parente com problemas de saúde.

Nesta sexta-feira (8), Marina cumpre agenda no interior da Bahia, enquanto Campos segue para Garanhuns e Bom Conselho, no agreste pernambucano.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave