Goleiro-linha vira trunfo do Minas no empate com o Corinthians

Na última quarta-feira, quando equipe perdia para os paulistas, Xande entrou nos minutos finais e empatou; jogadas são ensaiadas ao longo do ano

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

ESPORTES BH MG: PELA LIGA DE FUTSAL, MINAS RECEBE O CORINTHIANS AS 19:15, PELA SETIMA RODADA DA FASE CLASSIFICATORIA NO SEU TERCEIRO JOGO MINASTENISTA EM CASA.NA FOTO

FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 06.08.2014
DENILTON DIAS / O TEMPO
ESPORTES BH MG: PELA LIGA DE FUTSAL, MINAS RECEBE O CORINTHIANS AS 19:15, PELA SETIMA RODADA DA FASE CLASSIFICATORIA NO SEU TERCEIRO JOGO MINASTENISTA EM CASA.NA FOTO FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 06.08.2014

Uma decisão importante nos minutos finais do jogo entre Tambasa-Minas e Corinthians-Unip-SP, na última quarta-feira, na Arena Minas, impediu que o time da casa saísse mais uma vez derrotado na Liga Futsal. Depois dos 15 minutos do segundo tempo, o técnico Paulo Cesar Cardoso colocou em quadra o goleiro-linha Xande, que recebeu uma bola sozinho a dois minutos do fim e deixou tudo igual.

Trunfo do Minas também em outras oportunidades, Cardoso explicou que este é um quesito a que o time se dedica e serve não apenas para adiantar o ataque, mas para atrapalhar até o psicológico da equipe adversária, que passa a ficar mais acuada.

“Não foi coragem. Temos muitas horas de treino de goleiro-linha somados no ano. Às vezes chama a atenção, mas é uma coisa muito treinada que se usa para ter posse de bola e fazer o gol. Usa para minar a mente de quem tá jogando. Mas não foi uma ousadia, foi tudo treinado. Se o Alexandre não tivesse se recuperado, não teria colocado ele em jogo”, afirmou o treinador.

Para o autor do gol, o tento veio em boa hora, já que o clube da casa fazia grande pressão sobre os adversários e estava disposto a não sair com o resultado negativo de quadra.

“É uma coisa que já é programada de nosso time. Quando estamos em situações delicadas a gente coloca o goleiro-linha, que tem o costume de jogar bem já tem uns dois anos. A gente tem um jogo tático que dificulta muito a marcação, independente de o Corinthians ter grandes jogadores, jogadores experientes. Acabei ficando sozinho e acertei um chute que estava precisando muito para a equipe ter confiança, já que ainda tinha mais uns dois minutos para a gente buscar a vitória, que era o mais importante”, disse o jogador.

Leia tudo sobre: futsalminastambasa-minasgolxandepaulo cesar cardosoliga futsaltreino