Ucrânia suspende trégua na área da queda do avião da Malaysia Airlines

Pelo menos um civil morreu nesta quinta-feira (7) em um ataque com fogo de artilharia contra o centro de Donetsk, no leste da Ucrânia, informaram as autoridades municipais

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O governo ucraniano suspendeu a trégua decretada ao redor da área de queda do avião da Malaysia Airlines, uma zona sob controle de separatistas pró-russos no leste do país, após a suspensão das investigações dos especialistas internacionais.

"O regime de trégua na área de queda deixará de estar em vigor enquanto as investigações não forem retomadas", afirma um comunicado do governo nesta quinta-feira (7).

Pelo menos um civil morreu nesta quinta-feira (7) em um ataque com fogo de artilharia contra o centro de Donetsk, no leste da Ucrânia, informaram as autoridades municipais.

Donetsk, assim como Lugansk, é um dos principais redutos dos rebeldes no leste. A cidade tinha um milhão de habitantes antes do início do conflito entre as forças de Kiev e os separatistas pró-Rússia.

Vários projéteis caíram na seção de odontologia do Hospital Central de Donetsk, em um ataque "no qual morreu uma pessoa e outras duas ficaram feridas", segundo um comunicado da assembleia municipal da cidade.

Mísseis também caíram em pelo menos três grandes prédios de apartamentos, um supermercado e um estacionamento de transporte público -podendo haver mais vítimas.

Outros três civis morreram sob fogo de artilharia durante esta madrugada nos bairros periféricos de Petrovski e Budionnovski, enquanto oito casas particulares, uma garagem e vários terraços ficaram totalmente destruídos.

No último dia 21, o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, havia declarado um cessar-fogo em um raio de 40 quilômetros ao redor do local da queda do avião.

Avião

A Ucrânia intensificou a ofensiva contra os separatistas desde a queda do avião da Malaysia Airlines no leste do país, provavelmente derrubado por um míssil lançado a partir de território rebelde.

Na segunda (4), as autoridades da Ucrânia haviam pedido que a população civil do leste do país abandone todas as cidades e povoados controlados pelos separatistas.

A Holanda, que perdeu 196 de seus cidadãos entre os 298 passageiros e tripulantes que morreram na queda do voo MH17 no último dia 17, informou nesta quarta-feira (6) que suspendeu a missão no local da queda por causa dos combates na região.

O primeiro-ministro Mark Rutte disse a jornalistas em Haia que o risco para a equipe de 70 especialistas australianos, holandeses e malasianos era muito grande para continuar o trabalho na área.