Campanha ousada do governo suíço contra Aids é sucesso mundial

Criticadas por setores conservadores, peças defendem sexo seguro para combater a doença

iG Minas Gerais | Da redação |

Sexo seguro. De 300 candidatos, a fotógrafa Diana Scheunemann fotografou cinco casais escolhidos para a campanha
fotos Diana Scheunemann/divulgação
Sexo seguro. De 300 candidatos, a fotógrafa Diana Scheunemann fotografou cinco casais escolhidos para a campanha

Uma campanha contra a Aids lançada pelo governo da Suíça ganhou o mundo por abusar da ousadia e sensualidade, na tentativa de alertar a população para a importância da prevenção no combate à doença. Levada ao ar no dia 28 de julho, a campanha “Love Life – No Regrets” (Ame a Vida – Sem Arrependimentos, em tradução livre) chocou os mais conservadores por exibir cartazes com casais fazendo sexo. Segundo a imprensa local, alguns setores da sociedade criticaram as peças, caracterizando-as como “pornográficas”, e demonstraram preocupação sobre a exposição dos cartazes a crianças.

Entretanto, o governo do país considerou o programa bem-sucedido. Dez dias após seu lançamento, mais de 136 mil pessoas haviam respondido “sim” à pergunta “Você diz sim ao Manifetos Love Life”.

O objetivo da ação, de acordo com o Escritório Federal de Saúde Pública da Suíça, foi criar uma campanha participativa para incentivar a população a adotar uma vida sexual prazerosa e responsável “Para aproveitar a vida, eu preciso do meu corpo. Eu o protejo de doenças sexualmente transmissíveis, como o HIV”, diz um dos enunciados dos cartazes.

O trabalho, ao mesmo tempo publicitário e de saúde pública, começou a ser pensado em maio deste ano, quando o órgão do governo suíço anunciou uma chamada para pessoas comuns que quisessem posar para a fotógrafa Diana Scheunemann.

Cerca de 300 candidatos se apresentaram. Desse total, foram selecionados cinco casais com idades entre 20 e 52 anos, que estrelaram a campanha.

A campanha também realiza uma pesquisa em seu site para saber o que pensam os internautas sobre o HIV, o vírus da Aids. A enquete faz a seguinte pergunta: “Você está preocupado com o HIV?”. As respostas são preocupantes, segundo os organizadores. Até ontem, apenas 1% se dizia “muito preocupado”. Disseram “não” 49% e responderam “não muito” 40%. Dez por cento se disseram “um pouco” preocupados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave