Investimentos de US$ 53 bi

Valor será aplicado no Brasil nos próximos cinco anos; setor se recupera da crise de 2008

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

Perspectivas. Setor de máquinas e equipamentos vai  acompanhar ritmo de retomada dos negócios da mineração no Brasil
Glaucia Rodrigues / Divulgacao
Perspectivas. Setor de máquinas e equipamentos vai acompanhar ritmo de retomada dos negócios da mineração no Brasil

O setor minerário brasileiro deve receber investimentos de US$ 53,6 bilhões nos próximos cinco anos, conforme o diretor de assuntos minerários do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Marcelo Ribeiro Tunes. De acordo com ele, sinais de retomada do crescimento na China e a demanda interna por obras de infraestrutura contribuem para o incremento de expectativas do setor. Deste total, 41,8% devem ser aplicados em Minas Gerais.

Ontem, durante a Equipo Mining 2014, no Mega Space, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, o ouvidor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Paulo Santana, ressaltou que, somente no ano passado, os investimentos do setor mineral, sem considerar petróleo e gás, somaram US$ 400 milhões. Para o intervalo de 2012 a 2016, as projeções são de inversões de US$ 75 bilhões. “Em investimento, só perdemos para o setor de petróleo”, frisou.

O diretor geral da Equipo Mining, Joseph Young, ressaltou a importância de Minas no setor, já que é responsável por 53% da produção de minerais metálicos no país e 29% de minérios em geral.

Ele fez uma análise da situação da atividade. “A mineração está na fase de final da curva de descida, que começou com a crise global de 2008 e a redução de crescimento da China, que passou de dois dígitos para um, e que diminuiu o consumo global de minérios e metais. Isso levou a uma crise de preços e a redução da produção”, diz.

Para ele, já há sinais de recuperação, com preços melhores das commodities, além do indicativo de que a China vai manter, pelo menos, o crescimento de 7% ao ano. “A perspectiva para os próximos anos é que a mineração vai ter preços melhores. Haverá retomada de projetos que foram postergados ou suspensos”, analisa.

O gerente técnico de tecnologia de ferrosos da Vale, Charles Valadão, disse que entre 2014 e 2018, a companhia projeta incremento dede 9% na produção de minério de ferro. Para este ano, já estão aprovados U$$ 989 milhões em diversos projetos em ItabiIritos.

De acordo com ele, a expectativa de crescimento do consumo de aço até 2017 é de 33%. “Observamos que há um espaço ainda muito grande a ser explorado na China, maior país produtor de automóveis do mundo. Entretanto, o percentual de carros ainda é muito baixo”, observa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave