Com gol no fim e muitos erros, Atlético empata com a Chapecoense

Vitória deixaria a equipe alvinegra na quinta colocação do Campeonato Brasileiro, na porta do G-4

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

SC - BRASILEIRÃO/CHAPECOENSE E ATLÉTICO MG - ESPORTES - O jogador Andre do Atlético MG durante a partida entre Chapecoense SC e Atlético MG, válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2014, no estádio Arena Condá, em Chapecó, SC, na noite desta quarta-feira (6). 06/08/2014
Foto: JARDEL DA COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
JARDEL DA COSTA/FUTURA PRESS/ES
SC - BRASILEIRÃO/CHAPECOENSE E ATLÉTICO MG - ESPORTES - O jogador Andre do Atlético MG durante a partida entre Chapecoense SC e Atlético MG, válida pela Série A do Campeonato Brasileiro 2014, no estádio Arena Condá, em Chapecó, SC, na noite desta quarta-feira (6). 06/08/2014 Foto: JARDEL DA COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O torcedor do Atlético queria acordar nesta quinta-feira com o time do coração na quinta posição do Brasileirão, colado no G-4 e com gás para brigar pelo título do torneio. Mas o sonho contradiz com a realidade. Na noite desta quarta, contra a Chapecoense, a instabilidade da equipe voltou à tona. As falhas defensivas e a incompetência nas finalizações atormentaram a Massa. E se não fosse por Leonardo Silva, o Alvinegro deixaria a Arena Condá, em Chapecó, com uma derrota, em jogo adiado da décima rodada da competição.

O gol do empate em 1 a 1 saiu nos acréscimos, após escanteio cobrado de Dátolo. Porém, o torcedor não é bobo e não se ilude. Os erros são vários. O meio-campo não consegue conduzir a bola com eficiência. Substituto de Jô, André não consegue dar qualidade ao ataque. O sistema defensivo é instável, sobretudo Emerson Conceição. Não se sabe o que Levir Culpi vê no lateral-esquerdo. Não bastasse os problemas que vem demonstrando, Emerson se mostrou um cara sem sorte, ao cometer um equívoco grave no lance do gol da equipe de Chapecó, marcado por Jaílton, no primeiro tempo.

O Galo subiu do 11º para o nono lugar, com 19 pontos, a cinco do Corinthians, clube que ocupa o quarto lugar. Na próxima rodada, contra o Palmeiras, no domingo, às 18h30, no Independência, a Massa espera um triunfo convincente para voltar a sonhar por algo grande na competição, seja uma vaga na Libertadores ou mesmo o título.

O jogo. O primeiro tempo mostrou que o Atlético precisa treinar urgentemente as finalizações e os cruzamentos, dentre outros fatores. O time construiu algumas jogadas, mas pecou na hora de concluir a gol. André perdeu, no mínimo, duas boas chances.

Outra deficiência do Galo que vem ficando latente a cada partida é a bola parada, tanto a defensiva, quanto a ofensiva. Sem Ronaldinho Gaúcho, cabe a Guilherme e Marcos Rocha a função de cobrar faltas e escanteios. Mas a diferença entre eles e R10 neste sentido é grande. Talvez, fosse melhor que Diego Tardelli assumisse este papel.

E foi numa bola parada que a Chapecoense abriu o placar. Aos 41 min, se aproveitando da falha de Emerson Conceição, Jaílton abriu o placar.

Em busca do empate e da virada, o Atlético voltou do intervalo com duas mudanças: Luan e Dátolo entraram nas vagas de, respectivamente, André e Maicosuel, figuras apagadas no primeiro tempo.

Os dois substitutos precisaram de poucos minutos para colocarem fogo no jogo. Luan, inclusive, acertou uma bola na trave.

Poucos jogadores do time acompanharam o ritmo da dupla. Marcos Rocha e Tardelli ainda tentavam colaborar com algumas investidas. O empate só veio com gol de Leo Silva, na bacia das almas, salvando o Atlético da derrota.