Preço da cesta básica cai 3,59% em BH, segundo Dieese

No Brasil, as maiores quedas foram registradas em Brasília (-7,16%), Curitiba (-7,11%), Porto Alegre (-5,88%) e Natal (-5,27%); os dados são referentes ao mês de julho

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Valor da cesta básica disparou
ANGELO PETTINATI/17.11.2009
Valor da cesta básica disparou

Os alimentos que compõem a cesta básica dos brasileiros registraram queda nos preços, no mês de julho. Os dados fazem parte da apuração mensal da Pesquisa da Cesta Básica de Alimentos, realizada  pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos (Dieese).

Em Belo Horizonte, o valor da cesta caiu 3,59% com relação a junho, custando R$ 308,35. Já comparando com o mês de julho de 2003, foi registrada alta de 5,07%. Ao longo do início deste ano, o Dieese constatou queda de 1,25% nos alimentos básicos que estão presentes na mesa do consumidor mineiro.

No Brasil,  as maiores quedas foram registradas em Brasília (-7,16%), Curitiba (-7,11%), Porto Alegre (-5,88%) e Natal (-5,27%). O menor recuo foi observado em Manaus (-1,60%). Florianópolis foi a cidade onde se apurou o maior valor para a cesta básica (R$ 346,99) e apresentou a segunda menor variação negativa (-1,91%) em relação a junho.  A segunda maior cesta foi observada em São Paulo (R$ 345,42), seguida por Vitória (R$ 330,71). Os menores valores médios da cesta foram verificados em Aracaju (R$ 239,72), Salvador (R$ 270,06) e João Pessoa (R$ 270,60).

Bolso do trabalhador

Segundos os dados do Dieese, o consumidor brasileiro que depende de um salário mínino, levando em conta os descontos do INSS, ele pode contabilizar R$ 724,00 por mês. Desse valor, portanto, 46,29% do seu rendimento líquido acaba sendo destinado integralmente para a alimentação mínima necessária para o seu próprio sustento. No total de horas, em julho deste ano, o consumidor preciso trabalhar 93 horas e 42 minutos para conseguir comprar os produtos  básicos. Em julho de 2013, esse números ficavam em 95 horas e 14 minutos.

Cesta Básica

Em comparação ao mês de junho deste ano, os alimentos que registraram maiores altas foram: a farinha (2,06%), o leite (1,20%) e a manteiga (1,20%). Já os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços foram a batata (-27,80%), o tomate (-14,83%) e o feijão (-6,51%).

A Pesquisa da Cesta Básica de Alimentos acontece todos os meses e leva em conta treze produtos, de acordo com o Decreto-Lei 399, de 30.04.38, que regulamenta a Lei do Salário Mínimo. Dos alimentos presentes estão: carne (6,0 Kg); leite (7,5 L); feijão (4,5 Kg); arroz (3,0 Kg); farinha de trigo (1,5 Kg); batata (6,0 Kg); tomate (9,0 Kg); pão de sal (6,0 Kg); café em pó (0,6 Kg); banana (7,5 Dz.); açúcar (3,0 Kg); óleo de soja (0,9 L) e manteiga (0,75 Kg).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave