Anúncio de sindicato gera representação na Justiça

Sind-UTE pagou publicidade criticando governo de Minas

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Presidente do Sind-UTE nega que haja cunho eleitoral em anúncio
LEO FONTES / O TEMPO
Presidente do Sind-UTE nega que haja cunho eleitoral em anúncio

A relação de partidos com sindicatos provoca a primeira contestação na Justiça eleitoral na corrida ao Palácio Tiradentes. Nesta terça, o PSDB entrou com uma representação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) contra um anúncio do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas (Sind-UTE) publicado em veículos de grande circulação no Estado. A peça publicitária acusa o Executivo de “descaso” com a educação.

A assessoria jurídica da coligação Todos Por Minas, encabeçada pelo PSDB, entendeu que o anúncio é “uma propaganda eleitoral feita com o intuito de influenciar negativamente as candidaturas de Pimenta da Veiga, a governador, e de Antonio Anastasia, ao Senado Federal”.

A petição tucana ainda cita que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) “considera como propaganda eleitoral negativa práticas que visem denegrir candidaturas adversárias, com a finalidade de lhes retirar votos”.

A coligação espera conseguir o reconhecimento da ilegalidade da propaganda e o pagamento de multa pelo sindicato.

A peça publicitária – como título “Acompanhe o que o governo de Minas fez contra a educação” – traz 15 tópicos e acusa o Estado de congelar salários de professores e não investir no setor o mínimo exigido por lei. A propaganda não cita nome de nenhum candidato.

A presidente do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira, explicou que o anúncio faz parte de uma campanha de comunicação “para mostrar aos mineiros o que o Estado fez pelo setor, o que é um direito da entidade sindical”. “O anúncio não tem nome de ninguém e descreve situações que o Sind-UTE já vem denunciando há muito tempo. O que fizemos foi uma deliberação em assembleia, que decidiu fazer uma campanha de comunicação. Acho lamentável a coligação entrar com uma representação. Seria mais produtivo se ela discutisse as questões que levantamos.”

Embora o Sind-UTE seja ligado à Central única dos Trabalhadores (CUT), que tem ramificação histórica com o PT, Beatriz Cerqueira negou qualquer motivação partidária para fazer o anúncio.

Observador PT. O candidato ao governo de Minas Fernando Pimentel (PT) não quis opinar sobre a representação judicial. Ele afirmou que não iria “entrar na história”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave