Mercedes-Benz em Juiz de Fora afasta 158 funcionários

O fato é que a venda de caminhões no país não vai bem

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

Fábrica em Juiz de Fora inicia afastamento temporário no dia 18
Pedro Vilela/ O Tempo
Fábrica em Juiz de Fora inicia afastamento temporário no dia 18

A Mercedes-Benz confirmou o afastamento temporário de 158 trabalhadores da fábrica de Juiz de Fora, na Zona da Mata, a partir do próximo dia 18.  

Os funcionários terão os contratos suspensos em regime conhecido como “lay-off”, no qual eles são afastados da produção por até cinco meses. Durante esse período, parte do salário (R$ 1.300) será custeada com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Esses trabalhadores também passam por cursos de qualificação profissional.

O grupo representa 21% dos cerca de 750 empregados da fábrica mineira de caminhões, e deve incluir parte dos 140 operários que estavam em licença remunerada desde junho e retornariam ao trabalho ontem.

Na sexta-feira, os operários aprovaram, em assembleia, o afastamento temporário, assim como o banco de horas – sistema que dá maior flexibilidade para a montadora adequar a carga de trabalho às necessidades de produção.

A medida foi tomada para administrar o excedente de mão de obra, depois de cortes na produção. A montadora informou, por meio da assessoria de imprensa, que não comenta dados de produção e descartou rumores de encerramento das atividades na fábrica mineira.

O fato é que a venda de caminhões no país não vai bem. Balanço da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave) mostra que a comercialização de caminhões reduziu pouco mais de 13% em 2104.

Além da unidade mineira, a fábrica da Mercedes de São Bernardo do Campo, em São Paulo, afastou 1.200 operários desde julho e tem um programa de demissões voluntárias. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave