A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! E essa do sumiço do Jô agora, hein! A diretoria diz uma coisa, o empresário diz outra, e ninguém esclarece os fatos. Isso está cheirando “forçação” de barra. Se for isso, Jô está conduzindo as coisas de forma errada. Quer sair, meu caro, então faça as malas e saia pela porta da frente, de cara limpa! Assim como fez o seu parceiro Ronaldinho Gaúcho. Não queime seu filme com o Galo e com a Massa agindo como moleque. Também não esqueça que, enquanto outros clubes o rejeitavam por conta do seu filme queimado, foi o Galo que acreditou em você e lhe fortaleceu a ponto de você poder disputar uma Copa do Mundo! A Massa não é ingrata, nós lhe agradecemos por suas atuações decisivas, especialmente na conquista da Libertadores. Mas, se está querendo ir, vá. Até porque, pelas suas últimas atuações, você não vai fazer falta nenhuma.  A voz Celeste Até onde podemos afirmar que um clube é o favorito para vencer o Campeonato Brasileiro? Sabemos que futebol é momento, mas tem aquelas coisas extracampo. Depois daquele jogo do último sábado, contra o Botafogo, posso afirmar que a arbitragem pode segurar um time na hora em que quiser e influenciar em um resultado. Vejo alguns amigos da imprensa pedindo a profissionalização da arbitragem no futebol brasileiro. Mas quem falou que os árbitros não são profissionais? Só por que a maioria exerce outra profissão? Eu sou um profissional da comunicação e tenho outras atividades. O que um árbitro Fifa recebe em uma partida do Campeonato Brasileiro muitos trabalhadores neste país não recebem nem por mês. Após deixar dois pontos no Rio de Janeiro, no empate em 1 a 1 com o Botafogo, o maior de Minas precisa voltar a vencer no Brasileirão.  Avacoelhada  

Embora esteja no G-4, o Coelhão, com objetivo de disputar o título, ainda busca a formação ideal do meio de campo. Nas primeiras rodadas, Tchô foi o articulador isolado pelo centro. Elsinho e Pablo dividiram a função de defender e atacar pela direita. Mancini assumiu a titularidade devido a queda de rendimento e contusão de Tchô, mas também oscilou bons e maus momentos e caiu de produção. Nos treinamentos durante a Copa do Mundo, Leandro Guerreiro, Andrei, Doriva e Mancini compuseram o time titular. Doriva perdeu a posição, Tchô e Mancini foram escalados juntos, depois separados para entrada de Thiago Santos, e novamente titulares com a saída de Thiago Santos. Apesar da variação de jogadores, a utilização do 4-2-3-1 prevaleceu. Variações são importantes, porém falta encontrar o padrão que encaixe no perfil da equipe americana.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave