Sargento baleado no São Francisco morre após 15 dias no CTI

Militar que estava de folga, em sua motocicleta, e esperava por uma mulher com quem tinha um relacionamento foi atingido após discussão com dois homens; o criminoso que efetuou os disparos foi preso 20 dias após o crime

iG Minas Gerais | CAMILA KIFER |

Militar morreu após ficar 15 dias internado no CTI do Hospital de Pronto-socorro João XXIII, em Belo Horizonte
Divulgação / PM
Militar morreu após ficar 15 dias internado no CTI do Hospital de Pronto-socorro João XXIII, em Belo Horizonte

O sargento  Vanderli Gonçalves da Silva, de 46 anos, lotado no 13º Batalhão da Polícia Militar (PM), baleado durante uma discussão no bairro São Francisco no dia 21 de julho, morreu nesta terça-feira (5), após ficar 15 dias internado no Hospital de Pronto-socorro (HPS) João XXIII, em Belo Horizonte.  

Conforme informações da assessoria de imprensa da unidade de saúde, o militar estava internado em estado grave. Após dar entrara no HPS, o militar passou por uma cirurgia e permaneceu no Centro de Terapia Intensiva (CTI) até esta terça.

O suspeito de efetuar os disparos contra Vanderli foi preso 20 dias após o crime. Ele contou à polícia que havia confundido o militar com o integrante de uma gangue rival, que disputa o tráfico de drogas na região. 

Entenda

O militar foi baleado após uma discussão na madrugada do dia 21 de julho, no bairro São Francisco, na região da Pampulha. O sargento foi atingido por seis tiros. Criminoso que efetuou os disparos fugiu, na companhia de um comparsa, levando a arma do militar.

As primeiras informações divulgadas pela Polícia Militar (PM), davam conta que a vítima estava de folga, em sua motocicleta, quando foi surpreendida por dois homens armados na rua Vila Real, às margens do Anel Rodoviário. Vanderli teria marcado de se encontrar com uma mulher com quem tinha um relacionamento e esperava por ela quando foi abordado por dois homens. Após a discussão o militar foi baleado por um deles.

Detido

Na sexta-feira (1º), Thiago Henrique Correa da Silva, de 24 anos, foi preso após ser flagrado escondido na casa da namorada no bairro Dom Bosco, na região Noroeste da capital. O suspeito confessou ter cometido o crime e afirmou ter confundido o militar com um integrante do grupo rival, que disputa o tráfico na região.

Ainda conforme informações do militar, após realizar os seis disparos contra o sargento, Thiago subtraiu a arma do sargento e passou para um comparsa que estava na companhia dele no momento do crime. O segundo envolvido ainda não foi localizado.

Com Thiago a polícia encontrou uma pistola .40, que teria sido usada para balear o militar, um colete a prova de bala, 16 pedras de crack e oito buchas de maconha. A namorada do suspeito, Kenia Bicalho Martins, de 21 anos, também foi detida depois que a polícia encontrou munições dentro do armário do quarto dela.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave