Sanchez rebate críticas e deixa comando do Itaquerão

Sanchez estava incomodado com as críticas de que se comportaria como "dono" do estádio, por ter sido o presidente do clube responsável por sua construção

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Sanchez estava incomodado com as críticas de que se comportaria como
Facebook/Corinthians
Sanchez estava incomodado com as críticas de que se comportaria como "dono" do estádio

Irritado com as críticas recebidas recentemente, Andrés Sanchez anunciou nesta terça-feira que deixará o cargo de administrador do Itaquerão no próximo dia 18. O ex-presidente do Corinthians seguirá sendo apenas conselheiro vitalício e membro do CORI, o Conselho de Orientação do clube.

"A partir do dia 18 de agosto, não terei mais nenhum envolvimento com o estádio. Deixo a presidência do Fundo responsável pelo empreendimento e continuo sendo conselheiro vitalício e como ex-presidente, membro nato do CORI e vou continuar sendo o que sempre fui: um apaixonado pelo clube e torcedor fanático", anunciou, por meio de nota.

Sanchez deixa o cargo alegando que estava incomodado com as críticas de se comportaria como "dono" do estádio, por ter sido o presidente do clube responsável por sua construção.

"Tomei uma decisão, para deixar muito claro às pessoas que em nenhum momento me senti dono, proprietário ou qualquer coisa desse sentido, do estádio do Corinthians", disse. "Estou muito chateado", reforçou.

Modesto, o ex-presidente minimizou seu papel na construção do estádio. "O que acho que consegui foi contribuir com outras pessoas para que esse sonho tão importante na vida do clube fosse concretizado", declarou.

Sanchez vem recebendo críticas da torcida por causa do altos preços cobrados pelos ingressos do novo estádio. O valor tem afastado parte dos fãs e as arquibancadas não vêm lotando nos jogos do Brasileirão, como era esperado pela diretoria. "Seria hipocrisia não ter a responsabilidade de entender que essa é uma conta que todos nós temos a obrigação de pagar", se defendeu o ex-presidente.

"No começo ouvia indignado, que o Corinthians estava ganhando um estádio, e hoje todo mundo sabe que temos a responsabilidade de honrar com o pagamento. Desde o começo da construção, deixo o planejamento financeiro para pagar o estádio, conforme planejado com grupos de pessoas que querem o bem do clube", afirmou.

Apesar de defender a atual política de ingressos do clube, Sanchez garantiu que não tem qualquer interferência nas finanças do Corinthians. "Desde que sai da presidência do clube, não opinei em nada relacionado às finanças do Corinthians", disse.

"A essas pessoas quero deixar claro, que eles estão contra um dos melhores projetos da história do Corinthians, que é o Fiel Torcedor que tem sido tão importante para demonstrar a paixão dos torcedores do clube. O Fiel Torcedor, além de render financeiramente, demonstra claramente para quem quer enxergar que o torcedor corintiano se envolve com tudo, para não só apoiá-lo, como contribuir financeiramente para manter o time num determinado momento, e posteriormente para ajudar muito na edificação do estádio", declarou.

Leia tudo sobre: sanchezitaqueraoestadiofutebolesportepresidente