Como candidata, Dilma vai a Belo Monte pela primeira vez

Presidente citou as contrapartidas ecológicas e sociais da obra. E cobrou do consórcio construtor rapidez na construção de casas para as famílias afetadas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ichiro Guerra/Divulgação
"É um compromisso. Entre hoje e março de 2015, vão ter que acelerar, bastante mesmo, as obras da construção civil", disse

A presidente Dilma Rousseff visitou nesta terça-feira (5) o canteiro de obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, em atividade de sua campanha à reeleição.

Foi a primeira vez que Dilma esteve nas obras da hidrelétrica, iniciadas em 2011 e que forma o maior projeto de infraestrutura do país. A presidente nunca esteve no canteiro em agenda oficial. A viagem a Altamira, uma das cidades da região da usina, ocorre na semana em que o "Jornal Nacional" e outros telejornais da TV Globo começaram a promover cobertura sistemática da corrida eleitoral, exibindo um resumo do dia dos principais candidatos.

Com atraso de quase três horas, a presidente sobrevoou a obra, enquanto 30 operários e engenheiros a aguardavam desde 10h. O sobrevoo foi feito em helicóptero da FAB (Força Aérea Brasileira), e o PT informou que irá ressarcir os cofres públicos pelo uso.

A pedido da comitiva da campanha, mulheres e operários da usina provenientes do Haiti se integraram ao grupo escolhido.

Antes de se juntar aos operários, Dilma gravou um vídeo para sua campanha do alto de um mirante da obra. Em seguida, desceu e cumprimentou os 30 trabalhadores com beijos, conversou e posou para fotos.

Em declaração a jornalistas antes das perguntas, Dilma citou as contrapartidas ecológicas e sociais da obra. E cobrou do consórcio construtor rapidez na construção de casas para as famílias afetadas pelo empreendimento.

"É um compromisso. Entre hoje e março de 2015, vão ter que acelerar, bastante mesmo, as obras da construção civil", disse. "Vamos acompanhar essa questão permanentemente. É importante para nós que essas famílias sejam colocadas em moradias dignas. Não podemos, no Brasil, conviver com gente morando em palafitas."

Dilma ainda fez comparações entre seu governo e o de Fernando Henrique Cardoso (PSDB, 1995-2002) e prometeu maior atenção em relação aos assuntos relacionados à Amazônia, como o transporte hidroviário.

Após a entrevista, a presidente visitou as obras da casa de força, coração da usina, sempre acompanhada por uma equipe de filmagem e fotografia. Em seguida, em evento em que a imprensa não teve acesso, almoçou com os operários no refeitório.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave