Carga de passaportes com destino a Minas Gerais é roubada no Rio

Documentos foram roubados na última quarta-feira (30) na altura da cidade de Petrópolis

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Caminhão foi deixado em estrada de terra de Antônio Dias
DIVULGAÇÃO / PRF
Caminhão foi deixado em estrada de terra de Antônio Dias

Vários mineiros que requisitaram um passaporte terão a entrega dos documentos atrasada após uma carga que viria para o Estado ser roubada no último dia 30 de julho na altura de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Os documentos saíram da Casa da Moeda do Brasil, também no Rio, e seriam entregues à Delegacia de Imigração da Polícia Federal (PF), no bairro Anchieta, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

O empresário Tiago Fernandes, de 37 anos, foi quem denunciou o problema. "Fui nesta segunda-feira (4) para buscar o documento da minha filha, de 1 ano, e quando fui ser atendido me informaram que houve um problema após o carregamento de passaportes ter sido roubado no trajeto do Rio de Janeiro para cá", denunciou. Em seguida, os funcionários da Delegacia de Imigração o informaram que dentro de seis dias úteis maiores detalhes seriam repassados.

"Mas ainda não sei quando poderei pegar o documento. Viajamos para a Alemanha em setembro e espero que esteja pronto até lá. Mas, de qualquer forma, deveria ter avisado antes, pois ainda perdi o tempo de me deslocar até o Anchieta", reclamou. De acordo com Fernandes, outras pessoas tiveram o mesmo problema na hora. "Tinha um menino que precisava do passaporte para o dia por conta do emprego e eles disseram que não poderiam emitir nem um documento explicando o que aconteceu. Ele ficou na mão", lembrou o empresário.

Procurada por O TEMPO, a PF confirmou por meio de sua assessoria de imprensa o roubo das cadernetas de passaportes, que eram transportadas pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios). "Já foi feita a requisição à Casa da Moeda para que sejam confeccionadas novas cadernetas, em caráter de urgência, para substituição das roubadas. Os requerentes cujas cadernetas foram subtraídas já estão sendo contatados por telefone, para que aguardem o recebimento de um e-mail da PF, convidando ao recebimento do novo documento, sem qualquer ônus ao cidadão", dizia o documento.

A corporação ainda fez questão de afirmar que os documentos roubados não têm valor documental algum, visto que precisam ser validadas no sistema da PF, no momento da entrega ao requerente, mediante conferência dos dados biométricos do mesmo, por meio de verificação de sua impressão digital. Isso impossibilitaria o uso do documento por outra pessoa. Além disso, a PF ainda cancela em seu sistema todas as cadernetas roubadas.

A assessoria de imprensa dos Correios informou que o roubo foi registrado em boletim de ocorrência e, conforme previsto em contrato, a empresa notificou a Casa da Moeda  por ofício. "O funcionário dos Correios não ficou ferido e passa bem. Por questão de segurança, as informações a respeito do ocorrido serão repassadas diretamente aos requerentes pela PF", informava a nota.

Leia tudo sobre: ROUBOCARGASPASSAPORTESRIO DE JANEIROCORREIOSPOLÍCIA FEDERALANCHIETADOCUMENTOSCARGAPETRÓPOLIS