Oposição quer dissecar ‘cola’

Partidos vão ao Ministério Público e a conselhos de ética para apurar vazamento de questões

iG Minas Gerais |

Para Carvalho, denúncia não pode ser tratada como escândalo
ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO
Para Carvalho, denúncia não pode ser tratada como escândalo

Brasília. Aliados do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, vão ingressar com uma série de medidas administrativas e judiciais para investigar denúncia de que representantes da Petrobras receberam com antecedência o “gabarito” com perguntas que seriam feitas na CPI do Senado que investiga a estatal. A oposição também quer o afastamento do senador José Pimentel (PT-CE) da relatoria da comissão e que o Conselho de Ética do Senado apure o caso.  

PSDB e DEM vão pedir que o Ministério Público Federal investigue a denúncia, revelada pela revista “Veja”, assim como a suposta participação de José Pimentel e do senador Delcídio Amaral (PT-MS) no repasse das questões aos integrantes da Petrobras.

A oposição também vai denunciar hoje os dois senadores ao Conselho de Ética do Senado. Em outra frente, DEM e PSDB vão solicitar à Procuradoria da República do Distrito Federal a abertura de inquérito para investigar a presidente da Petrobras, Graça Foster, o ex-presidente da estatal Sérgio Gabrielli e os servidores Paulo Argenta, da Secretaria de Relações Institucionais (SRI) da Presidência, Marcos Rogério de Sousa e Carlos Hetzel, que trabalham no bloco de apoio ao governo no Senado.

Os servidores são apontados pela revista “Veja” como responsáveis por elaborar as perguntas que foram repassadas a Graça Foster, Gabrielli e Nestor Cerveró, ex-diretor da Área Internacional da Petrobras.

A oposição também vai pedir à SRI, à Petrobras e ao Senado que investiguem a conduta dos servidores, com a abertura de processos administrativos, com recomendação para que sejam exonerados.

Nas representações, PSDB e DEM vão acusar os servidores e os senadores de cometerem crimes de falso testemunho, violação do sigilo funcional e advocacia administrativa – defesa de interesses particulares por funcionários públicos contra o próprio interesse do órgão ao qual estão veiculados.

Candidato a vice-presidente na chapa de Aécio, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) disse que as denúncias são “graves” e que os órgãos públicos precisam realizar investigações profundas do caso.

Para Nunes, a presidente Dilma Rousseff é a “grande responsável” pelas irregularidades encontradas na estatal e que seriam apuradas pela CPI. “A presidente Dilma está literalmente no mundo da lua ao afirmar que esse é um caso do Congresso. O mais correto seria suspender as atividades da CPI até que tudo esteja apurado. É óbvio que ela sabia do assunto, é impossível ter desconhecimento”, afirmou. Presidente do DEM, o senador José Agripino Maia (RN) pediu o afastamento de Pimentel do cargo de relator da CPI. “Que o senador se ausente da comissão até que os fatos fiquem claros e ele possa ter autoridade para apresentar o seu relatório”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave