Morre aos 73 anos porta-voz atingido em ataque contra Ronald Reagan

Ele foi o funcionário que foi baleado na cabeça e ficou gravemente ferido no atentado contra o presidente Ronald Reagan em 30 de março de 1981

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Morreu nesta segunda-feira (4) aos 73 anos o ex-porta-voz da Presidência dos EUA James Brady. Ele foi o funcionário que foi baleado na cabeça e ficou gravemente ferido no atentado contra o presidente Ronald Reagan em 30 de março de 1981.

Depois do ataque, Brady teve o cérebro danificado e ficou com o lado esquerdo paralisado. Ele chegou a voltar ao cargo, mas teve que sair meses depois devido às complicações médicas provocadas pelo atentado.

Além da paralisia, o porta-voz foi obrigado a andar de cadeira de rodas. Mesmo com a saída do governo, a Casa Branca continuou a pagar seu salário até a saída de Ronald Reagan da Presidência, em 1989.

Nos últimos anos, Brady morava em uma comunidade de aposentados em Alexandria, no Estado da Virgínia, onde morava com sua mulher. Ele se tornou um dos grandes ativistas a favor do controle de armas nos Estados Unidos.

Sua iniciativa levou, em 1993, à aprovação de uma lei que impõe nos Estados Unidos um período obrigatório de cinco dias para que as autoridades possam autorizar a compra de uma arma de fogo.

A medida se baseava no fato de que o atirador que atingiu Brady, John Hinckley Jr., comprou um revólver calibre .22 sem nenhum controle prévio e a usou para tentar matar Reagan na saída de um hotel em Washington.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave