Comissão de valores argentina entra com pedido de investigação nos EUA

Presidente da comissão afirma que o NML, fundo com o qual a Argentina está em litígio, lucrou com o impasse da dívida

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Alejandro Vanoli, presidente da comissão de valores mobiliários da Argentina, afirmou que irá se apresentar frente ao órgão correspondente dos EUA, a SEC, para pedir uma investigação por conflitos de interesse sobre a negociação de seguros vinculados à dívida do país.

Ele afirma que o NML, fundo com o qual a Argentina está em litígio, lucrou com o impasse da dívida, mas, no entanto, não explicitou quais são as provas: "As provas (contra os abutres) estão no expediente, mas eu não posso revelar".

Ele também disse que a comissão de valores está investigando bancos locais, pois houve variações extraordinárias e querem averiguar se houve manipulação de mercado.

O nome do seguro, em inglês, é CDS (Credit Default Swap). São contratos entre duas partes em que uma garante a outra o pagamento de um prêmio caso haja um calote.

Esses contratos podem ser negociados. Para determinar se é preciso pagar prêmios, uma comissão chamada Isda se reúne e delibera.

Calote

Na semana passada, decidiu-se que a Argentina deu um calote, e que os prêmios devem ser pagos. O fundo Elliot participa desse comitê, e, ao mesmo tempo, controla o fundo NML, que está em litígio com a Argentina.

A Justiça dos EUA havia decidido que o país só pode pagar aos seus credores se também pagar ao NML, que detém uma dívida de US$ 1,3 bilhão que o país não quer reconhece.

O juiz do caso, Thomas Griesa, bloqueou o pagamento das parcelas aos detentores que já vinham recebendo -portanto, eles tomaram um calote- e só permite que o dinheiro chegue aos seus donos se a Argentina acertar com o NML.

O presidente da comissão de valores afirma que o NML é dono de contratos de seguro e, por isso, lucrou com o não-pagamento da parcela da dívida.