Córrego coloca prédio em risco

Laudo de engenheiro feito em 2012 indica que é urgente regularizar leito para evitar erosão

iG Minas Gerais | andré santos |

Impasse. Revestimento do leito deve ser feito pelo shopping, segundo prefeitura
JOAO GODINHO / O TEMPO
Impasse. Revestimento do leito deve ser feito pelo shopping, segundo prefeitura

Lojistas de um centro comercial no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, convivem há mais de dois anos com o risco causado pela retirada de sedimentos dos pilares do prédio, localizado na rua Paulo Piedade Campos, às margens do córrego Cercadinho. De acordo com o síndico do Shopping Paseo Plaza, em época de chuva, a força das águas provoca desmoronamentos de barrancos no local. A situação foi verificada pela reportagem em vídeos gravados por Silva.

“Em época de chuva, o volume de água aumenta muito. É possível a gente perceber que o fundo do Cercadinho tem muito mais areia que deveria. Não conseguimos trabalhar com tranquilidade”, enfatiza Fernando Antônio Felício da Silva, 72, que tem uma oficina de confecção de embalagens no centro comercial.

A apreensão dos lojistas do shopping começou em fevereiro de 2002, quando a Regional Oeste da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) notificou o centro comercial por duas vezes, para que a administração do shopping fizesse a contenção do terreno com o objetivo de preservar os pilares do edifício e elaborasse um estudo técnico para avaliar as condições do local. Nas notificações, a regional estabeleceu multas de cerca de R$ 10 mil caso a ordem administrativa não fosse cumprida. Silva destaca que, em maio de 2012, os pilares de sustentação do prédio começavam a apresentar sinais de descascamento provocado pelo constante contato com leito do córrego Cercadinho.

Laudo. Com cerca de 30 páginas, o laudo feito pela empresa de engenharia contratada pelo Shopping Paseo Plaza concluiu que o leito está assoreado que e “a calha do (córrego) Cercadinho apresenta avançado estado de erosão”. Assinado pelo engenheiro Mário Cicareli, o documento indica que a estrutura do prédio está sob risco e que há a possibilidade de a rua se romper.

Como solução para o caso, o laudo de engenharia sugere que a prefeitura faça “uma intervenção ampla na calha do córrego, que contemple a regularização e o revestimento do leito do Cercadinho”. O síndico pondera que as intervenções, que segundo a notificação da prefeitura deveriam ser feitas pelo shopping, fogem da alçada do condomínio.

“Eles (prefeitura) querem transferir a responsabilidade deles para a gente. Não temos condições financeiras nem autoridade técnica para fazer o que é preciso”, aponta Silva.

Local vai ser vistoriado A Regional Oeste informou que, ainda nesta semana, uma equipe técnica vai fazer vistoria nas margens do córrego do Cercadinho para verificar qual é a situação atual e analisar se há riscos no terreno onde está instalado o shopping, no bairro Buritis, na região Oeste da capital. A assessoria da regional informou que a prefeitura analisa um projeto de saneamento da bacia do córrego.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave