John Kerry foi espionado por Israel em 2013

Revista 'Der Spiegel', uma das mais importantes da Alemanha, afirma que caso aconteceu durante negociação de paz

iG Minas Gerais | Da Redação |

John Kerry foi alvo do serviço secreto israelense no ano passado
AP Photo/Jacquelyn Martin, Pool
John Kerry foi alvo do serviço secreto israelense no ano passado
Israel espionou o secretário de Estado norte-americano John Kerry durante as fracassadas negociações de paz com os palestinos no ano passado, divulgou neste domingo (3) a revista semanal alemã "Der Spiegel". Segundo o semanário, Kerry não usava apenas linhas telefônicas protegidas durante suas viagens pelo Oriente Médio: usava também conexões por satélite, mais vulneráveis à espionagem. Para "Der Spiegel", os serviços secretos israelenses e ao menos outro país escutaram o que Kerry falava com altos funcionários políticos e o fato pode afetar as já tensas relações entre Israel e Estados Unidos. A publicação não dá pistas de qual seria o país também envolvido nas escutas. O governo israelense teria usado tais informações para buscar uma solução diplomática no Oriente Médio, região que tem sido prioridade de Kerry desde que assumiu em 2013 o departamento de Estado dos EUA. A revista alemã afirma ainda que nem Israel e nem os EUA quiseram se pronunciar sobre o episódio das escutas telefônicas envolvendo o secretário de Estado John Kerry no ano passado. Tendo a paz na região como sua prioridade, em julho deste ano Kerry encontrou o primeiro-ministro israelense Binyamin Netanyahu e também o presidente palestino Mahmoud Abbas. Mas em abril de 2013 Israel surpreendeu anunciando um plano de construir 700 novas casas para colonos e se negou a libertar prisioneiros palestinos. Abbas, por outro lado, pediu o reconhecimento da Palestina em 15 reuniões na ONU e, finalmente, as negociações foram rompidas. Kerry também tinha tentado mediar o conflito atual entre Israel e o grupo Hamas em Gaza, sem sucesso. Mais de 1.700 morreram nesses combates desde o dia 8 de julho.

Leia tudo sobre: israelestados unidosjohn kerryder spíegel