Belo recanto inspirou filme de animação

Cenário de verdade inspira produção da Disney ‘Aviões 2’

iG Minas Gerais | Cristina Massari |

Ação.Dusty (ao centro) e a equipe de combate de “Aviões 2”, no fictício Piston Peak National Park
Disney/Divulgação
Ação.Dusty (ao centro) e a equipe de combate de “Aviões 2”, no fictício Piston Peak National Park

Toby Wilson, diretor de arte  de “Aviões 2: Heróis do Fogo ao Resgate”, cresceu na Califórnia acostumado a viajar com os pais nas férias de verão ou inverno para visitar parques naturais pelo país afora. Frequentemente tomavam o rumo do Yosemite National Park, a cerca de cinco horas de carro de Los Angeles, onde ele mora hoje.

Há três anos, quando começou a trabalhar no filme, a convite da Disney, remexeu em suas memórias de infância e voltou ao parque para fazer pesquisa de campo e criar a base de Piston Peak National Park, o parque nacional onde se passa a ação de “Aviões 2”, inspirado no cenário que se vê em Yosemite.

“Em Piston Peak, minha paisagem favorita é a da entrada do parque, que é equivalente à área conhecida como Tunnel View, no Yosemite. Quando você vem pela entrada sul, na saída do túnel a cena se abre para as montanhas que cercam Yosemite Valley. Em Piston Peak, dá para reconhecer a paisagem da vida real, quando Dusty, o protagonista, voa pelo parque e entra em cena o casal de motor-homes Harvey e Winnie.” Toby cita ainda a paisagem do hotel Ahwahnee, localizado bem na base do vale, e que inspirou o entorno do Grand Fusel Lodge na animação. “O Ahwahnee é cercado de montanhas majestosas de granito; a vista é linda, e a comida, excelente”, sugere.

CARTÕES-POSTAIS

Tunnel View está entre os cenários mais famosos do parque, com a clássica vista panorâmica de Yosemite Valley. À saída do túnel Wawona há um estacionamento para os carros e um mirante. Dali se avistam alguns dos principais marcos do parque: as montanhas El Capitan, Half Dome e a cachoeira Bridalveil. Ali, a geologia do parque se torna evidente, principalmente no verão, de contraste intenso entre o azul do céu, o verde da floresta e o cinza das rochas. Tunnel View marca também a chegada dos primeiros euro-americanos à região (a ocupação da área remonta a 8.000 anos antes da chegada dos espanhóis à Califórnia).

El Capitan, o paredão de granito a 1.097 m acima da base do vale, também já foi chamado de Crane Mountain e Giant’s Tower. É um ponto famoso no parque para alpinismo numa jornada que pode durar de quatro a oito dias. Half Dome, com sua cúpula que parece ter sido cortada ao meio, pode ser vista de muitos pontos do parque. Entre os mais bonitos, está a Sentinel Bridge, às margens do Merced River.

A subida ao Half Dome (1.500 m de elevação da base do vale e 2.680 m acima do nível do mar), no entanto, requer permissão, pois só é indicada para visitantes experientes. O parque instala cabos de metal para apoio que permitem a subida dos últimos 122 m até o topo sem a necessidade de usar equipamento de escalada.

O número de visitantes na trilha é limitado a 300 por dia. O ideal é se programar com antecedência, pois a maior parte das licenças é concedida no período da pré-temporada, em março, quando são sorteadas 225 licenças ao dia. As demais permissões são distribuídas diariamente ao longo da temporada. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave