Avacoelhada

iG Minas Gerais |

João Victor Bravim foi eleito o melhor goleiro da BH CUP 2013, competição sub-15 realizada na Toca da Raposa. Atleta em formação com potencial para repetir o sucesso do Matheus nas categorias de base e no profissional. Mas, em 2014, o jogador saiu do América e foi para o Cruzeiro. O zagueiro Bernardo e o atacante Higor também. Sem contar o técnico Lucas Batista. No ano passado, Tabata, Filipinho e Gustavo saíram e foram para o Atlético. Felipe Vizeu para o Flamengo. Em alguns casos, existem vendas forçadas. Apesar de não ser o principal interesse do clube de origem, o receptor paga uma baixa indenização proporcional ao valor da bolsa auxílio ou oferece um pequeno percentual nos direitos econômicos. Em outras situações nem isso. A fim de evitar novas saídas de atletas promissores, a diretoria americana precisa reestruturar a base. A voz da Massa Saudações alvinegras! O Atlético “do Paraguai” que o Galo enfrenta hoje está entalado na garganta do torcedor alvinegro. Foi ele o responsável pela quebra da séria invicta do nosso time no Horto na despedida do Bernard, lembram? Portanto, além do dever de subir na tabela do Brasileirão, vencer hoje é uma questão de honra. E eu vejo muita gente cogitando a hipótese de Levir escalar Dátolo na vaga de Emerson Conceição na lateral esquerda, já que, por questão contratual, Pedro Botelho não pode jogar. Mas se eu ainda conheço bem o meu antigo mestre Levir, digo que isso não vai acontecer. Ele odeia improvisar jogador. E, sendo assim, uma boa opção seria segurar Emerson Conceição como um terceiro zagueiro e dar mais liberdade para Marcos Rocha do outro lado, que tem mais qualidade no apoio. Mas, seja como for, o que interessa é que a reação comece hoje, certo? Dá-lhe Galo!  A voz Celeste Qual é a fórmula para se fazer um time vencedor? Acho que é mesclando a juventude com a experiência, com atletas de alto nível. É só pegarmos os grandes times que surgiram no mundo, como o Cruzeiro do fim das década de 60 e toda a de 70. Foi um time que foi, em sua maioria, feito dentro de casa, quando conseguiu reunir jogadores talentosos em todas as posições: Piazza, Dirceu Lopes, Tostão, Evaldo, Zé Carlos e cia. O Flamengo dos anos 80 também conseguiu reunir uma geração de jogadores acima da média, feitos dentro da Gávea, comandados por Zico, Adílio, Junior e Andrade. O Cruzeiro de 2003 foi um time montado para ser campeão, mas com poucos pratas da casa. Tinha em Alex, o ponto de desequilíbrio. Mas, para mim, o segredo está em fazer os jogadores dentro de casa: as categorias de base são a redenção dos grandes clubes. Contratar bons jogadores está cada vez mais caro. Vamos rumo ao tetra! 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave