Repaginando o horário nobre

Listamos os novos namoradinhos do Brasil para atualizar sua lista de galãs

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

Digno de ser admirado por sua beleza, o argentino Michel Noher tem tudo pra emplacar
João Migue Junior/TV GLOBO
Digno de ser admirado por sua beleza, o argentino Michel Noher tem tudo pra emplacar

Foi unânime. Não se falou em outra coisa nas últimas semanas a não ser de Chay Suede, o bonito que interpretou o protagonista Zé Alfredo, na 1ª fase de “Império”, da Rede Globo. Com apenas 22 anos e quatro capítulos gravados na casa global, Chay arrancou suspiros de todas as mulheres. Todas mesmo, sem incluir necessariamente uma faixa etária de fãs adolescente, típica dos bonitões novinhos. Com elogios à sua atuação em apenas uma semana, que sem falta darão um bom upgrade ao seu currículo, e uma agenda lotada de estrela de Hollywood – Chay bateu ponto em seis programas diferentes dentro da emissora em uma semana –, o bonito já está cotado para “Babilônia”, a próxima novela das nove.

Como não há nada como uma boa performance em horário nobre para dar rumo à carreira, Chay conseguiu chegar à mídia com ares de carne nova no pedaço e se desprender quase que totalmente de seu passado de ex-participante do “Ídolos”, reality show musical da Record, e Tomas, protagonista de “Rebelde”, novela da mesma emissora que ficou no ar entre 2011 e 2012. De acordo com Luiz Cabral, crítico e colunista da revista Super TV, Chay preenche os novos requisitos para encarar a nova safra de galãs da telinha. “Ele conseguiu se encaixar na beleza e no talento, que é o diferencial. É nítido pra todo mundo que ele não é só mais um rostinho bonito. Mesmo com todo seu passado artístico, quando se entra no horário nobre da Globo o cenário muda totalmente”, explica. 

Pra ficar de olho

No mesmo barco de Chay, detectamos as novas apostas para o cargo de “namoradinhos do Brasil” que estrelaram há pouco na TV no horário nobre. Na mesma novela das nove vale ressaltar Rafael Cardoso, que agora, sim, ganha os merecidos olhares no papel do chef de cozinha Vicente e já arranca comentários sobre sua atuação – afinal, homem bonito e que cozinha bem dispara os pedidos para o Santo Antônio.

Na casa dos 20 e poucos, outro destaque é Guilherme Leicam, no papel de Laerte de “Em Família”. Além de colocar, definitivamente, o rótulo de galã no currículo, ganhou comentários positivos por sua atuação como protagonista no horário nobre. “É isso que se espera desses novos galãs: que sejam muito jovens com um talento embutido e consigam até ofuscar a antiga geração. A TV pede uma renovação mais rápida, ainda mais hoje, com a internet, que existe uma espécie de ‘forçação’ para que apareçam rostos novos”, acredita Luiz.

O “rebu” da beleza

Um pouquinho mais tarde, logo após “Império”, a festa televisionada mais luxuosa do ano tem motivos de sobra para ser acompanhada capítulo a capítulo. Estreando na televisão brasileira, o ator argentino Michel Noher, no papel de Antonio Gonzalez, o piloto famoso de Fórmula 1 e paquera de Duda em “O Rebu”, tem tudo para deslanchar de vez nas próximas tramas globais. E, também, provar que a disparidade Brasil versus Argentina não tem vez em se tratando de beleza.

Na mesma “festa”, o ator pernambucano Jesuíta Barbosa tem arrancado suspiros no papel de Alain que, inclusive, protagonizou cenas calientes com Camila Morgado – o que atiçou ainda mais o rótulo de galã “pegador”. O ator foi apresentado ao público na pele de Fortunato, durante a minissérie “Amores Roubados” e elogiadíssimo pelo filme “Praia do Futuro”, em que deu vida a Ayrton, ao lado de Wagner Moura. A sua primeira experiência em novela e sua recém-adquirida fama de galã, com certeza lhe renderão bons papéis em novelas. “Lembro quando ele estava em ‘Amores Roubados’ e já era comentado pela beleza, mesmo atuando com o Cauã Reymond, que sempre rouba a cena”, lembra.

Nossas apostas para você ter ainda mais motivos para ser uma noveleira de plantão você encontra a seguir.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave