Mesmo com empate, Marcelo Oliveira aprova atuação no Rio de Janeiro

Clube mineiro criou as melhores chances, mas não conseguiu a quinta vitória seguida no Brasileirão

iG Minas Gerais | Da Redação |

Marcelo Oliveira ficou insatisfeito com atuação do Cruzeiro diante do Internacional, neste sábado
LEO FONTES / O TEMPO
Marcelo Oliveira ficou insatisfeito com atuação do Cruzeiro diante do Internacional, neste sábado

Mesmo dominando praticamente todas as estatísticas do jogo contra o Botafogo, no Maracanã, o Cruzeiro não conseguiu sair de campo vitorioso. Foram 19 finalizações contra oito do time carioca, segundo números do administrador esportivo Alexandre Siqueira. Na posse de bola, a Raposa ficou com 55,42%. E é justamente nos números do duelo que o técnico Marcelo Oliveira se apegou após a partida, na entrevista. 

O treinador celeste gostou da atuação do time no Rio de Janeiro. 

"O Cruzeiro teve as melhores chances. Infelizmente, marcamos mal na jogada do gol do Botafogo. Tivemos uma reação muito boa, isso é positivo. Buscamos o gol, foram várias finalizações. Os números foram bons, a reação foi boa. A gente lamenta porque viemos para cá para ganhar o jogo, como o Cruzeiro sempre tem feito. Não deu. Mas acho que ficou de bom tamanho, fora de casa. Teremos o Botafogo no Mineirão. A gente tem uma matemática em um campeonato por pontos corridos como esse muito difícil, ou ganha seis pontos ou quatro, como a gente vai tentar lá no Mineirão", disse Marcelo. 

Mas o técnico cruzeirense ressaltou a atuação do árbitro da partida, o paulista Luiz Flávio de Oliveira. Para Marcelo, o juiz não foi bem. 

"Não sou de reclamar tanto assim da arbitragem principalmente no momento do jogo. Mas temos que registrar duas situações. Primeiro, a falta de critérios em relação às faltas. Algumas jogadas de corpo são falta, outras não, situações de vantagem para o Cruzeiro. E, principalmente o tempo (acréscimos). Teve três jogadores caídos no primeiro e foram dois minutos. E aconteceu de tudo um pouco no segundo e foram três minutos, depois ainda acrescentou mais um. Eu não quero acréscimo para mim, nem para o Cruzeiro. Quero acréscimo para o jogo", destacou o técnico celeste. 

Sobre a situação do Botafogo no campeonato - que está na parte de baixo da tabela, na 13ª posição - Marcelo enfatizou as dificuldades que o Brasileirão impõe às equipes. 

"Eu faço a análise como um campeonato extremamente difícil. o São Paulo empatou em casa (contra o Criciúma), perdeu para a Chapecoense. O Corinthians também andou perdendo pontos. A parte física está muito equilibrada. Acho que o que mudou um pouquinho foi a falha no gol do Botafogo, um time experiente, que passa por um momento complicado, mas que vai reagir também, pois está em boas mãos", disse Marcelo. 

Leia tudo sobre: Marcelo OliveiratécnicotreinadorCruzeiroempateBotafogoanálise