Semana da Amamentação é marcada por evento no Parque das Mangabeiras

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é que até o seis meses de idade, as crianças só se alimentem exclusivamente de leite materno

iG Minas Gerais | Cinthia Ramalho |

A contadora Paula Costa, 37, aguarda ansiosa pela chegada de seu primeiro filho. Ela está grávida de 5 meses e espera um menino, porém, ainda não decidiu se o pequeno se chamará João Paulo ou Gabriel. Entre as tantas dúvidas comuns durante a gravidez, ela tem a certeza de uma coisa: vai amamentar o bebê pelo tempo que for necessário. “Sei o quanto o leite materno é importante para o desenvolvimento do meu filho”, afirma. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é que até o seis meses de idade, as crianças só se alimentem exclusivamente de leite materno, porém, isto está longe de ser a realidade do Brasil. Segundo a OMS, a média brasileira é de apenas 54 dias. Em uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, em 2008, em todas as capitais brasileiras e no Distrito Federal, Belo Horizonte aparece abaixo da média nacional, já que apenas 41% das crianças belo-horizontinas são alimentadas exclusivamente com leite materno.

Com o objetivo de conscientizar as mulheres sobre os benefícios da amamentação, a Sociedade Mineira de Aleitamento Materno realizou, na manhã deste sábado (02), um evento em comemoração à Semana Mundial da Amamentação. A data é comemorada em 120 países desde 1992 e, este ano, teve como tema “Amamentação: Uma Vitória para toda a Vida”. Durante toda a manhã, várias mulheres passaram pelo estande montado no Parque das Mangabeiras, na região Centro-Sul da capital, onde puderam aprender mais e tirar dúvidas com profissionais da saúde sobre amamentação. “Além de ser importante para o desenvolvimento do bebê, a amamentação também ajuda as mães na prevenção de doenças como o câncer de mama e o câncer de útero”, ressalta Cleonice Liboreiro, presidente da Sociedade Mineira de Aleitamento Materno.

Tatiana Teixeira, 39, fisioterapeuta, é mãe de Catarina, de 7 anos, e Valentina, de 3 anos. Ela conta que, embora tivesse o grande desejo de amamentar as filhas até os seis meses, isso não foi possível, já que não tinha leite suficiente. “Eu amamentei até os quatro meses, mas só porque não tinha mais leite. Acho que o sonho de toda mãe é conseguir o amamentamento exclusivo até os seis meses”, diz.

Problemas

Segundo Sônia Gonçalves, 50, líder da Pastoral da Criança de Nossa Senhora do Rosário de Pompéu, um dos principais problemas para a média brasileira de amamentação exclusiva ser tão baixa é a falta de tempo. “Geralmente, as mulheres amamentam apenas durante a licença maternidade. Depois, começam a trabalhar e, como não têm tempo, começam a inserir outros alimentos na dieta da criança, como sucos e papinhas”, explica.

Hora de Ouro 

De acordo com a OMS, a criança deve ser amamentada logo após o seu nascimento. Esse momento é conhecido como a “hora de ouro” e pode trazer inúmeros benefícios para o bebê, já que o leite materno garante maior imunidade para o recém-nascido.

Benefícios da amamentação:

Para a criança: O leite materno previne infecções, obesidade, colesterol alto e diabetes.

Para as mães: A amamentação previne hemorragias maternas no pós-parto, favorecendo a volta ao tamanho normal do útero e o volume dos seios mais rapidamente. Além disso, a amamentação também ajuda na redução do peso ganho durante a gravidez.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave