A voz da Mass

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! Certamente você, amigo atleticano, já ouviu aquela expressão: “Fez a fama, agora deita na cama”. É isso que está acontecendo com o Galo. Explico: por conta da magnífica campanha nos dois últimos anos, nenhum time tenta mais nos enfrentar de igual para igual, num jogo franco. Todo mundo vem jogando na retranca. E eu vejo que o nosso time tem dificuldade de derrubar essa tática e acaba, muitas vezes, ficando improdutivo em campo. Um jeito de quebrar esses ferrolhos seria reeditar a velha e boa “bagunça organizada” da era Cuca, na qual nossos atacantes e meias se movimentavam por todo o campo, sem posição fixa, deixando os adversários sem saber a quem marcar. Hoje o único que preserva essa característica é Tardelli. O time todo deveria fazer o mesmo. Assim, eu tenho certeza de que o Galo volta a ser aquele time que encantou a todos nós.

A voz Celeste Hoje tem mais uma batalha na vida do maior de Minas. É contra o Botafogo, no Maracanã. Como venho falando durante a semana toda, não tenho dúvidas do favoritismo do Cruzeiro. Em condições normais, voltamos para Belo Horizonte com os três pontos. Só não podemos esquecer de que estamos falando de futebol. Venho pedindo para que a diretoria celeste fique de olho nas arbitragens, porque, se o time de Marcelo Oliveira continuar apresentando o futebol que estamos vendo até agora, só no apito que tiram o nosso título. Marcelo Oliveira tem o time nas mãos, e vocês podem perguntar para vários torcedores que a maioria vai escalar o time do Cruzeiro. É um bom sinal, estamos no caminho certo e caminhando a passos largos para o tetracampeonato. A nação celeste vai comparecer em peso hoje ao Maracanã e incentivar do começo ao fim.

Avacoelhada O Coelhão deve aproveitar as circunstâncias da partida contra o ABC. Preferencialmente, controlar o ritmo do jogo na maior parte dos 90 minutos. Vencer, convencer e com placar dilatado. Se o confronto for equilibrado, buscar a vitória até o último segundo. Neste caso, a diferença de um gol será considerada goleada. A melhor defesa pode ser o ataque. Adiantar a marcação a fim de pressionar o adversário. Para quebrar a intensidade, Tchô e Mancini valorizarem a posse de bola através de tabelas progressivas. Willians terá mais condições físicas de acertar as finalizações se evitar o desgaste provocado pelo recuo excessivo. No segundo tempo, a escolha entre Mancini, Tchô, Willians e Ricardinho poderá formar um dinâmico quarteto ofensivo, sem posições fixas. Concentração no Espetinho do Marquinho, rua Pitangui, 3.189.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave