Nova mesa em Tiradentes

iG Minas Gerais |

O charmoso balcão do wine bar, no restaurante Pacco e Bacco, na cidade de Tiradentes
Renato Quintino/divulgação
O charmoso balcão do wine bar, no restaurante Pacco e Bacco, na cidade de Tiradentes

A descrição de “pequena cidade charmosa do interior cheia de restaurantes estrelados” pode lembrar o interior da França, mas Tiradentes é aqui perto.

Que a cidade é uma referência, todo mundo sabe, com seus festivais e o movimento intenso aos fins de semana, repletos de gente de todo o Brasil e do exterior.

A boa novidade é que, enquanto as casas mais antigas mantêm sua qualidade – como as estreladas Pau de Angu, Estalagem do Sabor, Virada’s do Largo, Leitão do Lui Ney, Kitanda Brasil, Tragauz e Theatro da Vila –, outras boas novas casas surgiram com o ótimo trabalho de chefs, renovando sua cena gastronômica.

Sem medo de passar longe de mineirices, o Pacco e Bacco faz na rua Direita cozinha contemporânea antenada com o comando do chef Rafael Pires. A execução é perfeita de pratos, como espuma de cogumelos com foie gras grelhado, ovo perfeito com ragú de cogumelos, bacon e aspargos frescos e o risoto de ragú de rabada (cozida lentamente por seis horas) e tartar de tomate. O nome da casa já sugere a ênfase dada também ao vinho – o Pacco e Bacco é um wine bar –, que começa com sua venda num empório anexo ao restaurante e segue na boa carta da casa.

Pouca gente subia até depois da igreja Matriz de Santo Antônio, mas, hoje, o Angatu levou movimento à tranquila, residencial e charmosa rua Santíssima Trindade. O restaurante é pequeno e acolhedor, com a cozinha ousada e inventiva (de inspiração brasileira) do chef Rodolfo Mayer.

Inovação

Com pratos muito bem-executados – o cardápio muda frequentemente, o que é uma grande qualidade–, pode-se provar o capeletti recheado de beterraba assada, o contrafilé grelhado com feijão-fradinho, coalho e tomatinho assado, a coxa e a sobrecoxa de pato em caldo de especiarias, molho melado, purê de baroa e ora-pro-nóbis salteada, além das ótimas sobremesas terra de café, creme de chocolate e castanha de baru e o cuscuz de mandioca com coco ralado e pó de rapadura.

Não se pode ainda ir a Tiradentes sem provar os doces do Chico Doceiro, um dinâmico senhor que tem orgulho em contar que usa um mesmo tacho de cobre, higienizado todos os dias, há 40 anos.

Os doces são uma aula de gastronomia, mostrando que, quando se quer, um simples canudinho de doce de leite pode atingir a perfeição num cone de massa fresca e crocante. A cocada branca pode ganhar sutileza se for feita com água de coco. Uma palha italiana pode ser uma inesperada iguaria quando feita com maestria.

O doce de leite do Bolota também vale uma visita, indo na contramão da tradição mineira de doces excessivamente doces, conseguindo o milagre de utilizar apenas 200 g de açúcar para 15 litros de leite.

A casa fica fora do centro, o nome homenageia o cozinheiro que criou o doce (que era diabético) e tem o simpático cartaz na porta só mesmo encontrado em cidades pequenas como Tiradentes: “Doce? Toque a campainha”. 

Receita

TORTA DE QUEIJO COALHO

Para a massa: 1 e 1/2 xícara de farinha de trigo,10 colheres (sopa) de manteiga sem sal, 4 colheres(sopa) de água gelada, feijão para pré-assar a massa e papel-manteiga.

Para o recheio: 500 gr de queijo coalho, 250 gr de queijo grana padano, 500 ml de creme de leite fresco, 4 ovos, sal e pimenta-do-reino moída na hora.

Preparo da massa: Prepare a massa misturando todos os ingredientes em uma vasilha. Leve-a à geladeira por no mínimo uma hora. Retire-a da geladeira e abra a massa sobre uma bancada polvilhada com farinha de trigo. Unte uma forma de fundo falso com manteiga e coloque a massa no fundo e nas laterais. Coloque o papel-manteiga e cubra com o feijão. Asse a massa por cerca de 30 a 40 minutos até estar firme e corada. Retire do fogo, espere esfriar um pouco e retire com cuidado o papel manteiga com os feijões. Reserve os feijões para assar ou pré-assar outra massa.

Preparo do recheio:Rale os queijos e misture-os com o creme de leite e os ovos. Tempere com sal e pimenta-do-reino. Recheie a massa com esse recheio e asse por mais 20 minutos ou até dourar. Retire do forno, desinforme e sirva com a salada na cocotte.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave