Nem tanto, nem tão pouco

Modelos de entrada na alta cilindrada seduzem pelo custo/benefício, potência e glamour

iG Minas Gerais | Raphael Panaro |

BMW F800 GS Adventure
bmw/divulgação
BMW F800 GS Adventure

O segmento de motocicletas de alta cilindrada vem crescendo no Brasil. E esse crescimento engloba tanto as vendas quanto a oferta: só no primeiro semestre de 2014, a participação de motos acima de 450 cc atingiu 4,44%, contra 3,79% no mesmo período do ano passado.

O nicho que surgiu como grande vitrine é o de motocicletas entre 800 cc e 1000 cc. Duas palavras podem resumir a escolha por um modelo desse porte: preço e diversão. Tanto que a MV Agusta acaba de lançar a segunda de três motos de 800 cc que pretende comercializar no Brasil: a esportiva F3, com preço de R$ 56 mil. Ela vem com um motor de três cilindros capaz de gerar 140 cv. Na Brutale, a primeira a desembarcar no mercado, o mesmo propulsor é calibrado para gerar 125 cv e a moto custa R$ 47 mil. Até o fim do ano, a MV Agusta irá completar o trio com a Rivale 800.

A Ducati é uma das marcas que mais oferece opções nesse setor. A mais recente novidade é a linha Hypermotard, que chegou esse ano ao país. Composta pela Hypermotard, Hypermotard SP e Hyperstrada, a gama é equipada com o motor Testastretta composto por dois cilindros em “L” a 11º de 821 cm³. Com o tradicional comando desmodrômico de válvulas, ele é capaz de gerar até 110 cv de potência e 9,1 kgfm de torque. Os preços começam em R$ 51.900 pela versão “standard”, passam por R$ 56.900 da Hyperstrada e chegam a R$ 64.900 pela “radical” configuração SP. A Ducati também vende a naked Streetfighter 848 e a Monster 796, além da 848 EVO, uma superbike de 168 kg – peso seco – e preço de R$ 59.900, que atinge 140 cv de potência a 10.500 rpm e tem torque de 10 kgfm a 9.750 rotações.

Fabricantes que chegaram ao Brasil recentemente parecem já ter notado o segmento de 800 cc. Tanto que o modelo de entrada da italiana Benelli é a naked TNT 899. Ela parte de R$ 36.600 e, apesar de um trazer um propulsor tricilíndrico em linha inclinados a 25°de 898 cc, a potência fica em 98 cv, além de um torque máximo de 7,65 kgfm – na Europa a mesma moto traz 120 cv e 9,0 kgfm de torque. A Benelli ainda oferece a TRE 899 K, a trail com mesmo conjunto mecânico, mas com preço de R$ 39.990.

No caso da alemã BMW, a divisão Motorrad vende no Brasil a versátil F800 GS, sua variante aventureira GS Adventure e a naked F800 R. As duas primeiras custam R$ 43.350 e R$ 47.900, respectivamente, e produzem 85 cv extraídos do motor dois cilindros e quatro tempos de 798 cc. Já a street F800R tem 87 cv de potência e 8,8 kgfm de torque a 6.000 giros. O modelo custa R$ 36.900.

A Triumph é outra marca que tem uma boa oferta de motos na casa das 800 cc no Brasil. São duas. A fabricante britânica comercializa a Tiger 800 e sua versão aventureira Tiger 800 XC. Elas custam R$ 36.400 e R$ 39.900, respectivamente, e são equipadas com motor tricilíndrico de refrigeração líquida que produz 95 cv a 9.300 rpm e torque de 8,0 kgfm a 7.850 giros.

Leia tudo sobre: motomercadoalta cilindrada