Secretário assume com desafios de reerguer blitze e baixar crimes

Plano é que policiais reforcem ações da Lei Seca de cada região

iG Minas Gerais | bernardo miranda |

Solenidade. Governador empossou ontem o novo secretário de Estado de Defesa Social (à direita)
Osvaldo Afonso / Imprensa MG
Solenidade. Governador empossou ontem o novo secretário de Estado de Defesa Social (à direita)

O novo secretário de Estado de Defesa Social tomou posse nesta sexta com o desafio de reerguer as blitze da Lei Seca e manter a queda da criminalidade, alcançada em junho com o reforço do policiamento para a Copa do Mundo. Marco Antônio Romanelli substitui Rômulo Ferraz, que volta ao Ministério Público e deve concorrer ao cargo de procurador geral de Justiça.

Nos seis primeiros meses de 2014, houve queda de 46% nas abordagens feitas a motoristas em ações da campanha “Sou pela Vida Dirijo sem Bebida” na comparação com o mesmo período de 2013. Foram 5.067 condutores fiscalizados no primeiro semestre de 2013 contra 2.719 no mesmo período deste ano. “Estamos planejando uma próxima etapa para o reforço das blitze no Estado. Vamos comprar novos equipamentos para prover a polícia”, afirmou o secretário Romanelli. Comandante geral da Polícia Militar, o coronel Márcio Martins Sant’Ana destacou que a ideia é que os policiais reforcem as blitze das respectivas regiões. “Queremos fazer uma ação interdisciplinar, que gere a interação entre os agentes responsáveis pelo policiamento preventivo daquela região e os militares do batalhão do trânsito. A proposta é que não seja uma ação apenas contra os motoristas que bebem antes de pegar a direção, mas que também gere uma maior sensação de segurança de forma geral”, explicou Sant’Ana. Romanelli também destacou que seu trabalho será de continuidade da atual gestão e que vai usar a estratégia de manter parte do efetivo policial do interior para reforçar a segurança na região metropolitana. “Vamos seguir naquilo que já foi anunciado, de fazer um rodízio com os militares do interior”, explicou. Avaliação. Na passagem de cargo, Ferraz destacou as ações implementadas durante sua gestão, como o programa Pacto pela Impunidade, que objetiva prender suspeitos reincidentes, inclusive menores de idade. Ele ainda comemorou a redução da criminalidade no último mês de junho, de 15%, na comparação com maio. Sobre o motivo de sua saída, Ferraz não confirmou, mas sinalizou que irá se candidatar ao cargo de procurador geral de Justiça, posto mais alto do Ministério Público de Minas Gerais. “Eu tenho uma carreira na minha instituição que vai passar por um processo político neste momento, e quero estar envolvido nessa discussão”, disse o ex-secretário de Defesa Social. 

Ferraz destaca dados positivos do mês passado Ao deixar o cargo, o ex-secretário de Estado de Defesa Social Rômulo Ferraz afirmou que em julho passado houve o menor número de homicídios para um mês desde setembro de 2010. “Em julho, tivemos 242 homicídios, o melhor resultado dentro de nossa gestão, um resultado numérico importante”, disse. O resultado – obtido em mês de Copa, com reforço no policiamento – segue a tendência de redução nos assassinatos verificada neste ano. Os dados completos ainda não foram divulgados pela pasta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave