CBF cogita mudar sistema de registro de jogadores

Boletim foi questionado após polêmica na final da Copa Verde, que terminou com dois campeões: um dentro de campo e outro na justiça

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Ferramenta é utilizada para gerenciar mais de 20 mil inscrições de atletas profissionais do Brasil
Reprodução
Ferramenta é utilizada para gerenciar mais de 20 mil inscrições de atletas profissionais do Brasil

O Boletim Informativo Diário (BID), sistema eletrônico disponibilizado pela CBF para o acompanhamento da situação contratual de jogadores junto aos clubes, pode passar por reformulação. Mesmo considerado eficiente, o sistema tem trazido problemas aos clubes e até influenciado em final de campeonato. Nesta semana, a CBF demitiu seu diretor de registro e transferência, Luiz Gustavo Vieira de Castro. Na entidade desde 1989, ele era responsável por gerenciar o registro dos mais de 20 mil jogadores profissionais em atividade no País. Pesou para a queda do dirigente a confusão instalada na Copa Verde, conquistada em campo pelo Brasília e no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelo Paysandu.  O clube paraense denunciou a escalação irregular de quatro jogadores na final da competição, mas o Brasília se defende apontando erro da CBF na publicação do registro dos atletas. O caso ainda terá uma decisão no Pleno do STJD. Advogados com conhecimento em registro de jogadores ouvidos pela reportagem sustentam que o BID é um sistema eficiente, mas passível de "erros operacionais". O processo até um jogador ter seu nome regularizado no boletim passa por funcionários de clubes, federações estaduais e CBF, responsável por lançar definitivamente o nome no sistema. "O BID é eficiente, mas a questão é saber operá-lo", afirma o responsável pelo registro de atletas de um dos clubes da Série A. Uma das mudanças sugeridas seria a confirmação automática sempre que um registro fosse efetuado. "Já há a geração de um número de protocolo. Poderia ser emitida também uma mensagem de confirmação ou não do registro", sugere o advogado Tiago Amaro, especializado em direito desportivo. Até ser demitido, Vieira de Castro trabalhava com uma possível mudança no BID. Procurada, a CBF não quis se posicionar sobre o tema, alegando que Reynaldo Buzzoni - que assumiu interinamente o cargo de diretor de registro e transferência - precisa de tempo para avaliar os procedimentos. Buzzoni já atuava na entidade na área que trata das transferências internacionais de jogadores.

Leia tudo sobre: BidCBFfutebolpolêmicaalteraçõesmudançaserrosconfusão