Lula alfineta Aécio na primeira entrevista em Minas

Ex-presidente diz que Estado não pode ser tratado como "propriedade para benefício de uma família"

iG Minas Gerais | Da Redação |

MONTES CLAROS, MG - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez nesta sexta-feira (1º) uma crítica indireta ao candidato ao Planalto pelo PSDB, Aécio Neves, ao dizer que o Estado não pode ser tratado como "propriedade para benefício de uma família". Lula fazia uma menção velada ao episódio do aeroporto construído na gestão de Aécio no governo de Minas (2003-2010) numa área desapropriada pelo Estado na terra de um tio-avô do senador, em Cláudio (MG), episódio revelado pela Folha de S.Paulo. Após criticar Aécio e o PSDB, o ex-presidente fez elogios ao candidato do PT ao governo de Minas, Fernando Pimentel, que, segundo ele, "sabe" como agir estando eventualmente à frente do governo mineiro. "Ele [Pimentel] sabe que o governo do Estado não pode ser tratado como propriedade para benefício de uma família e que não pode ser centralizado na capital, que tem que atender as demandas das mais diferentes regiões de Minas, desde o Norte e o Vale do Jequitinhonha ao Triângulo e o Sul", afirmou. Lula concedeu entrevista ao jornal "Gazeta do Norte Mineiro", na edição desta sexta (1º). Mais tarde, ele e a presidente Dilma Rousseff, rival de Aécio na disputa ao Planalto, participarão de ato de campanha na cidade. Na entrevista Lula também reforçou a habitual crítica que faz aos governos do PSDB em Minas, segundo a qual os tucanos não investem em programas sociais nas regiões mais pobres do Estado. Em Minas, PT e PSDB polarizam a disputa pelo governo. Pimentel e o tucano Pimenta da Veiga estão em empate técnico, segundo pesquisa Ibope realizada entre 26 e 28 de julho. O petista tem 25% e o tucano, 21%. Lula disse ainda que o governo mineiro faz "muita propaganda e pouca ação" e que o Estado "não acompanhou" o crescimento do país, repetindo o mote eleitoral de Pimentel. Nesta sexta (1º), Lula, Dilma e Pimentel terão encontro com prefeitos e um comício em Montes Claros. O ato marcará a abertura da campanha ao Senado do empresário Josué Alencar, filho do ex-vice-presidente José Alencar, morto em 2011.   PESSIMISMO Questionado se o fracasso da seleção brasileira na Copa poderia prejudicar Dilma e o PT, Lula fez coro ao discurso que vem sendo adotado pela presidente. "O povo sabe separar o futebol da política. A oposição previa um caos na organização da Copa. Eles diziam que os estádios não ficariam prontos, que os aeroportos entrariam em colapso e que o transporte coletivo não iria funcionar. E até racionamento de energia e surto de dengue falavam que ia ter. Nada disso aconteceu e o governo e o povo brasileiro deram uma grande demonstração de competência e eficiência", disse. Sobre risco de "inflação alta e desemprego à vista", Lula disse: "O governo está adotando todas as medidas necessárias para combater a inflação. Não há razão para pessimismo". "Se você observar, verá que a economia brasileira cresceu muito nos últimos 12 anos. Adotamos uma política de valorização real do salário mínimo. No governo tucano diziam que o aumento do salário mínimo causaria desemprego, mais informalidade no mercado de trabalho e que a Previdência ia quebrar. Mas nós provamos o contrário", completou.  

Leia tudo sobre: eleiçãoeleiçõeslulaaéciomontes clarosaviãoaeroportocríticaalfinetada