Sem fiscalização, condutores bebem e saem para dirigir

A Seds informou que, depois do Mundial, as blitze da campanha Sou pela Vida

iG Minas Gerais |

A redução do número de blitze da Lei Seca durante a Copa do Mundo causou uma diminuição nos números de infrações, crimes e multas impostas aos motoristas que dirigiram sob o efeito de álcool no período. Em junho de 2013, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) registrou 102 infrações e 47 crimes em 5.067 abordagens de operações da campanha Sou pela Vida. Dirijo Sem Bebida. Em 2014, no mesmo período, foram 2.719 abordagens, 18 infrações e um crime.  

Um engenheiro civil de 28 anos, que preferiu ter o nome preservado, relatou à reportagem que transitou por ruas e avenidas da cidade durante o Mundial e não encontrou blitze. Ele admite que aproveitou a escassez de policiamento. “Eu e meus amigos bebemos mais do que o normal e dirigimos”, revela.

Justificativa. A Seds informou que, depois do Mundial, as blitze da campanha Sou pela Vida. Dirijo sem Bebida estão retornando aos poucos. Segundo a pasta, os policiais do Batalhão de Polícia Militar de Trânsito foram reposicionados para reforço em Belo Horizonte durante a Copa do Mundo. O formato final de como vai funcionar a campanha está sendo definido e entrará em vigor nos próximos dias. A secretaria não entrou em detalhes sobre o assunto.

O major Gilmar Luciano, chefe da Sala de Imprensa da Polícia Militar, confirmou que militares foram empenhados em escoltas de delegações e controle do tráfego.

Retomada

Subiu. Até o dia 28 de julho, o número de abordagens da Lei Seca foi de 4.233, 56% maior do que o registrado no mês de junho. Foram registrados dez crimes, no mês anterior foi apenas um.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave